Cobre negociado em Londres tem alta

Às 9h50 (de Brasília), o cobre para dezembro subia 0,43% para US$ 3,3850 por libra peso, na Comex eletrônica

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

19 de agosto de 2010 | 09h51

O cobre opera sob forte resistência na London Metal Exchange (LME), depois de subir mais de 1% em meio à alta das bolsas na Europa e na Ásia.

 

"Depois de operar de lado na quarta-feira, o cobre registrou fortes ganhos nesta manhã, com o metal testando novamente o nível de US$ 7.500,00 por tonelada", afirmou Leon Westgate, analista do Standard Bank. Segundo ele, o metal tem sido impulsionado, junto com o níquel e o estanho, pela cobertura de vendas a descoberto e o renovado interesse de compra.

 

Às 8h42 (de Brasília), o contrato do cobre para três meses subia 1%, para US$ 7.466,00 por tonelada, enquanto o do alumínio avançava 0,1%, para US$ 2.106,25 por tonelada. O contrato do zinco apresentava estabilidade, em US$ 2.134,00 por tonelada, e o do níquel tinha alta de 1,8%, para US$ 22.234,00 por tonelada. O contrato do chumbo ganhava 0,7%, para US$ 2.137,00 por tonelada, enquanto o do estanho aumentava 2%, para US$ 21.400,00 por tonelada.

 

Os participantes do mercado disseram que o preço do cobre continuou a subir, apesar de alguma liquidação na Ásia, com um número pequeno de investidores realizando recentes lucros. Segundo eles, o sustentando declínio dos estoques, para seu nível mais baixo em nove meses, indica que a demanda continua firme.

 

Mas a recente pressão de alta é mais uma correção do que um sólido rali, afirmou o Barclays Capital em um relatório técnico.

 

Já o Commerzbank destacou que o alumínio mostrou o desempenho de preços mais fraco entre os metais básicos na quarta-feira e, uma vez que os estoques continuam a aumentar, os preços deverão ficar sobre pressão. O banco prevê que os preços do metal ficarão abaixo de US$ 2.000,00 por tonelada no curto prazo. 

 

Às 9h50 (de Brasília), o cobre para dezembro subia 0,43% para US$ 3,3850 por libra peso, na Comex eletrônica. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
metaisLMEcobre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.