Shizuo Kambayashi/AP
Shizuo Kambayashi/AP

Cobre opera em queda diante de preocupações com economia da China

Os contratos futuros de cobre operam em queda nesta quarta-feira, diante de preocupações com a economia da China. O país asiático consome mais de 40% de cobre do mundo, mas há temores crescentes de que, com a desaceleração econômica local, a demanda por commodities poderia cair ainda mais do que o esperado. O metal é utilizado para fins industriais e no setor de construção.

AE, Estadão Conteúdo

31 Dezembro 2014 | 08h53

O mais recente gatilho para as preocupações foi conhecido durante a última sessão do ano. O índice dos gerentes de compras (PMI) industrial da China, medido pelo banco HSBC, caiu a 49,6 na leitura final de dezembro, de 50,0 na leitura final de novembro. A leitura preliminar indicava uma queda maior, para 49,5 em dezembro.

Esta é a primeira contração registrada nas condições operacionais da indústria desde maio. Leituras abaixo de 50 indicam contração na atividade do setor na comparação com o mês anterior.

Por volta das 8h15 (de Brasília), o cobre para três meses na London Metal Exchange (LME) cedia 0,3%, a US$ 6.302 por tonelada. O alumínio era negociado estável a US$ 1.861 por tonelada, o zinco também se mantinha perto do valor de fechamento de ontem, a US$ 2.187 por tonelada, o níquel seguia a tendência, a US$ 15.090 por tonelada, e o chumbo caía 1,4%, para US$ 1.861 por tonelada. O estanho também recuava, ao ritmo de 1,5%, para US$ 19.080 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para março perdia 0,47%, a US$ 2,8405 por libra-peso, às 8h47 (de Brasília). Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
MundoMetais

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.