Com alto déficit habitacional, corretora sugere compra de Eternit

O elevado déficit habitacional brasileiro, estimado em 7,2 milhões de unidades, é um dos fatores que fazem com que a Corretora Ágora sugira a compra das ações da Eternit. A Corretora está incluindo os papéis da empresa em sua carteira moderada de recomendação, mas ressalta que a Eternit já estava no portfólio de dividendos desde janeiro de 2006, tendo apresentado desempenho bem superior ao principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), o Ibovespa. A recomendação é de compra, baseada em pontos como o alto potencial de demanda do segmento de cobertura (telhas) no Brasil, por conta do déficit no setor de habitação. Parte relevante desse déficit está concentrada nas famílias com renda mensal inferior a três salários mínimos (83,8% do total), o que indica forte potencial de demanda pelos produtos da Eternit, destaca a Ágora. A corretora lembra ainda que a Eternit é a maior fornecedora de produtos de fibrocimento do Brasil, com capacidade instalada para produzir aproximadamente 650 mil toneladas por ano (telhas em especial). A fatia de mercado local da empresa é de 28%. Além disso, a Ágora destaca que a companhia é uma boa pagadora de dividendos, com seus rendimentos entre os mais elevados do mercado. Para o período entre 2006 e 2009 a corretora estima dividendos/rendimentos médios em torno de 6,9% ao ano. A conservadora estrutura de capital da empresa e a expectativa de fluxo de caixa crescente dão sustentação à política de remuneração ao acionista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.