Com exterior, dólar à vista tem dia de volatilidade

Expectativa nas mesas de câmbio é de que o dólar oscile hoje entre altas e quedas

Agência Estado, Texto atualizado às 12h45

18 de março de 2014 | 10h05

SÃO PAULO - O dólar à vista no balcão tem dia de volatilidade, sob influência do exterior. A moeda americana abriu nesta terça-feira, 18, em leve queda ante o real, influenciado pela perda de força da moeda norte-americana em relação às principais divisas ligadas a commodities no exterior após o pronunciamento do presidente da Rússia, Vladimir Putin. Ele reconheceu a independência da Crimeia em relação à Ucrânia e disse que o Kremlin deve se limitar a esta anexação.

A expectativa nas mesas de câmbio é de que o dólar tenda a oscilar hoje entre altas e quedas diante da espera pela decisão de política monetária e a entrevista posterior da presidente do Federal Reserve Janet Yellen, amanhã. O dólar à vista abriu a R$ 2,3470, queda de 0,09%, mas às 9h25 já tinha virado e subia 0,04%, a R$ 2,350.

Os dados domésticos relativamente positivos do setor de serviços e da indústria, divulgados nesta manhã, não mexeram diretamente com a taxa de câmbio, disse um operador de câmbio de um banco.

Por volta de 10h37, o dólar à vista atingiu a cotação máxima do dia, em alta de 0,43%, a R$ 2,3590. A cotação da moeda americana reagiu ao fortalecimento dos ganhos do dólar ante o euro após o ministro de Relações Exteriores da França afirmar que a Rússia está suspensa do G8, que reúne as sete potências mundiais e a Rússia.

Já no início da tarde, às 12h36, a cotação do dólar à vista virou e a moeda voltou a cair. Na mínima, registrou queda de 0,21% a R$ 2,3440.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarUcrânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.