Com feriado em SP, dólar fecha estável a R$ 1,672

O dólar comercial fechou cotado a R$ 1,672 hoje no mercado interbancário de câmbio, estável pelo segundo dia consecutivo. Por causa do feriado na cidade de São Paulo, as operações de câmbio foram reduzidas. Durante os negócios, a taxa de câmbio oscilou entre a mínima de R$ 1,671 e a máxima de R$ 1,675. No mês e no ano, o dólar comercial acumula alta de 0,48%. O euro comercial cedeu 0,04% e fechou a R$ 2,28 nesta terça-feira. Não houve negócios na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F).

SILVANA ROCHA, Agencia Estado

25 de janeiro de 2011 | 18h26

O dólar turismo foi negociado a R$ 1,78 (venda) e R$ 1,667 (compra). O euro turismo cedeu 0,13% para R$ 2,347 (venda) e R$ 2,217 (compra).

"Sem negócios na Bolsa, as mesas de câmbio de algumas instituições financeiras em São Paulo trabalharam em esquema de plantão, com poucas operações de fechamento de câmbio de comércio exterior. Não houve praticamente fluxo financeiro dada a impossibilidade de arbitragens devido ao fechamento da Bolsa", disse um operador de um grande banco nacional. Diante da liquidez estreita na sessão, o Banco Central fez somente um leilão de compra de dólares à tarde e fixou a taxa de corte das propostas em R$ 1,6737.

Investidores receberam hoje os dados divulgados pelo Banco Central sobre a conta corrente do balanço de pagamentos com o exterior e os números de investimento estrangeiro direto no País em dezembro e em 2010, além do fluxo cambial positivo em janeiro até o dia 21 em US$ 9,205 bilhões, mas essas informações não fizeram preço no mercado, afirmou uma fonte de um banco nacional. Segundo o BC, as compras de dólares pela autoridade monetária elevaram as reservas internacionais em janeiro, também até o dia 21, em US$ 3,927 bilhões. Ontem, o saldo das reservas internacionais subiu US$ 955 milhões, para US$ 293,443 bilhões no conceito de liquidez internacional.

Com a agenda forte de indicadores e balanços norte-americanos e a persistente cautela com a situação fiscal e econômica de países europeus, os agentes monitoraram os mercados internacionais. Lá fora, o sinal negativo predominou nas Bolsas europeias e norte-americanas, enquanto o dólar oscilou entre leves altas e baixas ante o euro.

Na Europa, o plano de capitalização das caixas de poupança espanholas e a inesperada queda no Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido foram fatores de pressão adicional sobre os mercados.

Tudo o que sabemos sobre:
câmbiodólareuroferiadoBC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.