Com foco nos EUA, petróleo opera perto da estabilidade

Mercado mira Congresso dos Estados Unidos aguardando acordo sobre a elevação do teto da dívida do país

16 de outubro de 2013 | 07h45

Os contratos futuros de petróleo operam perto da estabilidade enquanto os investidores evitam assumir grandes posições antes de o Congresso dos Estados Unidos chegar a um acordo sobre a elevação do teto da dívida do país. Na quinta-feira, 17, o governo norte-americano deve ficar sem recursos para pagar suas obrigações, segundo estimativas do Departamento do Tesouro, e os parlamentares precisam chegar a um acordo para evitar isso.

No começo da noite de terça-feira, 15, a agência de classificação de risco Fitch colocou o rating dos EUA em observação para possível rebaixamento e disse que um corte na nota do país pode ser feito até o fim do primeiro trimestre do próximo ano. As incertezas no mercado de petróleo também estão elevadas porque a paralisação parcial do governo dos EUA impedirá a divulgação dos dados semanais sobre estoques da commodity nos EUA.

Além da crise orçamentária nos EUA, os preços do petróleo podem cair no curto prazo por causa do potencial progresso nas negociações entre potências internacionais e o Irã sobre o programa nuclear do país, destacaram analistas do Commerzbank. "Esses fatores sugerem que os preços cairão mais no futuro, tendo em vista que o mercado de petróleo está bem abastecido", comentaram.

Às 7h33 (pelo horário de Brasília), o petróleo para novembro negociado na Nymex caía 0,01%, para US$ 101,20 por barril, enquanto na ICE o contrato do brent para dezembro, que já é o mais negociado, recuava 0,05%, para US$ 109,37 por barril. O brent para novembro, que vence hoje, tinha queda de 0,09%, para US$ 109,86 por barril. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoestablidadeEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.