Com forte valorização das ações da Petrobrás, Bovespa tem dia de alta

Ações da estatal subiam mais de 4% no fim da manhã

Olívia Bulla, O Estado de S. Paulo

25 de novembro de 2014 | 11h00

A Bovespa abriu o pregão desta terça-feira em alta, reavendo o patamar dos 56 mil pontos perdidos ontem, em linha com o sinal positivo vindo das bolsas internacionais, após os números sobre o Produto Interno Bruto (PIB) na Alemanha no terceiro trimestre deste ano e antes dos dados sobre o desempenho da economia norte-americana no mesmo período. Porém, a cautela deve permear os negócios na Bolsa brasileira, em meio ao noticiário envolvendo a Petrobrás. 

As ações da estatal, porém, exibiram ganhos de mais de 2% no início de sessão, alta que foi ampliada para mais de 4% no fim da manhã. Os papéis dos bancos também avançam. Os mercados no Brasil ainda esperam pelo anúncio oficial da equipe econômica de Dilma Rousseff no segundo mandato, que pode ocorrer até quinta-feira, em meio às tentativas de líderes do PT em elogiar os prováveis nomes escolhidos pela presidente.  

Às 11 horas, o Ibovespa 1,34%, aos 56.148,73 pontos. O índice à vista ainda não operou em baixa hoje. No exterior, as principais bolsas europeias pegam carona em números positivos sobre países da zona do euro, ao passo que os índices futuros das bolsas de Nova York apontam para um continuidade dos ganhos apurados na véspera, quando o Dow Jones e o S&P 500 fecharam em novos recordes de alta.   

Neste horário, as ações ON e PN da Petrobrás subiam 4,39% e 4,36%, nesta ordem, listadas no topo do ranking de maiores altas. 

A estatal petrolífera tem concentrado as atenções recentemente, mas o destaque do dia é a confirmação, pela própria Petrobrás, de que a empresa recebeu na última sexta-feira (21) uma notificação do regulador mobiliário norte-americano, a SEC, requerendo documentos relativos à investigação sobre as denúncias de corrupção envolvendo a empresa. A informação tende a afastar ainda mais o investidor estrangeiro dos papéis da companhia, assustado com os escândalos, e o maior receio é de que a Bolsa de Nova York (NYSE) suspenda a negociação com os recibos de depósito de ações (ADRs).

De modo geral, os mercados domésticos seguem na expectativa pela confirmação do triunvirato econômico que fará parte do segundo mandato do governo Dilma e que pode ser anunciada até esta quinta-feira (dia 27), após a aprovação da flexibilização das metas do superávit primário no Plenário do Congresso Nacional, em sessão prevista para a tarde de hoje. 

Tudo o que sabemos sobre:
Petrobrásbolsaações

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.