Com novo comando, HP quer acelerar expansão

A HP Brasil anunciou que Carlos Ribeiro, de 54 anos, deixará a sua presidência no fim do mês, sendo substituído por Mário Anseloni, de 39 anos, que ocupava a vice-presidência comercial da empresa. "Queremos crescer mais do que o mercado", afirmou Anseloni, que está na empresa há oito anos.Também foi de oito anos o período em que a HP Brasil foi comandada por Ribeiro, chegando a se tornar uma empresa com mais de R$ 4 bilhões de faturamento, que registrou crescimento anual maior do que 20% nos últimos dois anos. "A HP Brasil ultrapassou as metas por 12 trimestres consecutivos", disse Ribeiro. A empresa gera, no Brasil, cerca de 8 mil empregos diretos e indiretos. No mundo, a fabricante de computadores fatura US$ 90 bilhões por ano.O executivo tomou a decisão de deixar a HP em 2005. Ele planeja se mudar para uma cidade no sul de Minas e ter mais tempo para atividades que gosta, como restauração de arte. "Não gostaria de fechar portas, mas não planejo ser consultor ou assumir cargo executivo em outra grande empresa", disse Ribeiro. Ao visitar grandes clientes com Anseloni, para comunicar a troca de comando, o executivo foi parabenizado por outros dirigentes de empresas, pela coragem de mudar de vida. "Não queria deixar para quando já tivesse mais de 60 anos."A transição brasileira acontece num momento difícil da HP mundial, que enfrenta um escândalo de espionagem ilegal de jornalistas e executivos, para descobrir como informações da companhia vazaram para a imprensa. A presidente do conselho da HP, Patricia Dunn, teve que deixar o cargo e hoje enfrenta acusações criminais.A situação lá fora não afetou as vendas da companhia, segundo Ribeiro: "Os clientes querem ver o incidente elucidado, mas não deixam de fazer negócios. É uma cicatriz que fortalece a empresa para que ela lute para que os negócios sejam feitos de forma ética."Uma das apostas de crescimento da empresa no Brasil é a área de serviços. "A área de managed services (terceirização) é a de maior crescimento", apontou Rui da Costa, vice-presidente e diretor geral da HP América Latina e Caribe. A empresa também quer usar sua posição forte na área de impressoras para vender serviços de impressão para seus clientes. "A HP vai se transformar numa empresa de impressão." O forte, na área de serviços, ainda são os de manutenção, normalmente vendidos junto com os equipamentos.A transição na HP Brasil começou a ser preparada no fim do ano passado. Anseloni ficou sabendo em julho deste ano que poderia assumir o cargo.Ele começou a carreira na HP em Miami, como gerente de Desenvolvimento de Negócios para a América Latina. Antes tinha trabalhado na IBM e na Moore Formulários. Engenheiro mecânico pela Unicamp, Anseloni tem MBA pela American Graduate School of International Management, de Glendale, Arizona.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.