Com previsão favorável para inflação, juro futuro recua

As perspectivas favoráveis para a inflação continuaram estimulando o mercado futuro de juros, que hoje seguiu em queda. Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) testaram novas mínimas e, segundo profissionais, não caíram mais porque alguns investidores enxergaram nas taxas baixas oportunidade para embolsar parte do lucro obtido nestes dias. O contrato de DI com vencimento em janeiro de 2008 fechou projetando taxa de 12,18% ao ano, ante 12,19% ao ano de ontem. O contrato de DI de janeiro de 2009, também um dos mais negociados, encerrou com taxa de 12,01% ao ano. No dia anterior, este mesmo DI terminou a 12,03% ao ano. Esse movimento de queda das taxas reflete o cenário positivo para a inflação, que a pesquisa Focus, divulgada ontem, confirmou de forma clara - praticamente todas as projeções de índices de preços mostraram recuo expressivo. E indica que, aos poucos, a possibilidade de o Comitê de Política Monetária (Copom) voltar a cortar o juro em 0,5 ponto porcentual ainda este semestre ganha força. Profissionais afirmam que há analistas respeitados defendendo, em reuniões com clientes, que o Copom pode, no encontro de abril, acelerar o passo e cortar a taxa Selic em meio ponto porcentual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.