Comercial do Guaraná Antarctica pode levar "Cannes Predictions"

Numa votação simbólica, jurados selecionados entre donos e sócios de agências, anunciantes e analistas do mercado publicitário escolheram, na terça-feira, os três melhores comerciais estrangeiros e os três melhores brasileiros. A festa anual do Cannes Predictions foi organizada pelo jornal O Estado de S. Paulo, em parceria com a agência de publicidade Leo, Burnett e a publicação Propaganda&Marketing.Esse evento, a menos de uma semana do início do Festival Internacional de Publicidade de Cannes, é marcado pela exibição dos 50 melhores comerciais mundiais concorrentes, selecionados pela Leo, Burnett, numa tradição iniciada por Donald Gunn (o número 1 da criação da agência nos EUA). A novidade deste ano foi a inclusão de dez filmes brasileiros, que seguem para a competição em Cannes.Maradona, comercial criado pela agência Duda Propaganda para o Guaraná Antarctica, foi considerado o melhor entre os que vão representar o Brasil em Cannes. O comercial mostra o atleta argentino sonhando estar jogando pela Seleção brasileira. Ele acorda assustado, como quem sai de um pesadelo, chegando à conclusão de que está bebendo demais o refrigerante brasileiro.O sócio e sobrinho de Duda Mendonça, Ricardo Braga, comemorou o resultado e disse estar esperançoso de que, pelo seu caráter universal, o filme faça sucesso na competição. Esse filme deu novo gás à agência de Duda Mendonça, envolvido no escândalo das relações entre o governo federal e agências de publicidade. Jurados, como o vice-presidente do Banco Itaú, Antônio Mathias, ressaltaram que, embora outros filmes tenham mais produção, "os brasileiros ganham em ousadia e criatividade".Em segundo e terceiro lugares no Cannes Predictions se destacaram dois comerciais criados pela agência Almap/BBDO. Com maior número de votos, aparece Gritos, para o chocolate Twix, e Passarinho, para a empresa aérea Gol.Entre os estrangeiros, o vencedor foi o comercial Angel's Day Off, da DDB London para o Volkswagen Polo, seguido de Monsters, da Modernista Boston para Hummer e Stick, da BBDO/Nova York, para a Fedex.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.