Commodities e juro na Austrália amparam alta das bolsas europeias

DAX subiu 2,15%; FTSE-100 avançou 2,93%; e CAC-40 registrou alta de 2,73%

Clarissa Mangueira, da Agência Estado ,

06 de julho de 2010 | 14h03

As principais bolsas europeias fecharam em alta acentuada, com o setor de commodities liderando os ganhos, uma vez que os investidores compraram ações de companhias atingidas recentemente por temores sobre o crescimento econômico. A decisão do Reserve Bank of Australia (RBA, o banco central do país) de manter as taxas de juros do país em 4,5% também ajudou a impulsionar o sentimento do mercado.

 

O índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 6,08 pontos, ou 2,57%, para 242,76 pontos. Na segunda-feira, o índice fechou em queda de 0,3% - o nível mais baixo desde 25 de maio.

 

"Eu acho que os mercados estavam muito vendidos e eu não acho que o cenário (econômico) é tão ruim quanto os mercados nos fizeram acreditar", afirmou Mike Lenhoff, estrategista-chefe da corretora Brewin Dolphin.

 

Em Londres, o índice FTSE-100 subiu 141,47 pontos, ou 2,93%, para 4.965,00 pontos, reduzindo um pouco os ganhos após a divulgação do índice ISM de atividade do setor não industrial dos EUA, que caiu a 53,8 em junho, de 55,4 em maio. As ações das mineradoras permaneceram fortes em Londres. Antofagasta subiu 7,56%, Xstrata ganhou 6,44% e Vedanta

Resources subiu 5,81%.

 

No setor de energia, os papéis de British Petroleum subiram 3,7%, refletindo as esperanças de que os preços das ações da companhia podem atrair novos compradores apesar dos custos da empresa para conter o vazamento de óleo no Golfo do México. O Royal Bank of Scotland elevou o rating da ação da empresa de "hold" para "compra".

 

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX, aumentou 124,78 pontos, ou 2,15%, para 5.940,98 pontos, refletindo o rali das bolsas dos Estados Unidos depois que uma previsão encorajadora do banco central australiano desencadeou uma recuperação em muitos dos principais mercados mundiais e a Associação da Indústria de Semicondutores reportar um crescimento de 4,5% nas vendas mundiais de chips em maio. Os traders disseram, porém, que o volume de negociação em Frankfurt foi fraco. As ações da TUI AG subiram 8,3%, após a companhia elevar suas perspectivas para as operações de transporte de container, citando uma recuperação do setor.

 

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, subiu 90,90 pontos, ou 2,73%, para 3.423,36 pontos. Os caçadores de pechinchas ajudaram a bolsa francesa a sustentar seus ganhos iniciais, apesar dos dados levemente mais fracos da atividade do setor não industrial dos EUA. Todas as ações do índice registraram altas, impulsionadas pelo setor financeiro. Société Générale ganhou 6,3%, Crédit Agricole subiu 5,4% e Arcelor avançou 5,8%.

 

O índice IBEX 35, da Bolsa de Madri, subiu 333,50 pontos, ou 3,59%, para 9.615,00 pontos, depois que uma recuperação técnica ganhou força com a abertura positiva dos mercados norte-americanos. "Os índices estavam todos em queda próximos dos níveis de suporte" afirmou um analista de Madri. O setor bancário se recuperou, conduzido pelo Santander, que subiu 6,03%. A empresa de infraestrutura de transporte Abertis avançou 5,7%, depois que seus principais acionistas confirmaram que estão estudando uma compra do controle acionário da companhia.

 

Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 encerrou com elevação de 153,26 pontos, ou 2,16%, em 7.259,48 pontos. Banco Espírito Santo e Portucel Industrial subiram 3,99% e 4,39%, respectivamente. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
frankfurtcacdaxlondres

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.