Compra da Batávia pela Perdigão foi subavaliada, avalia Pactual

Relatório do Banco Pactual sobre a compra da Batávia pela Perdigão, avalia que os R$ 110 milhões pagos por 51% da companhia sinalizam um valor total de aproximadamente R$ 215 milhões. Na opinião do banco, no entanto, com base em cálculos de fluxo de caixa descontado, a Batávia valeria quase quatro vezes mais, algo em torno de R$ 900 milhões. "Nós entendemos que a aquisição não foi olhada com atenção pelo mercado." O banco reiterou a recomendação Buy 2 para a Perdigão.O Pactual afirma que as ações da Perdigão já eram as preferidas do banco no setor de alimentos, em razão do alto potencial de valorização frente a sua concorrente Sadia e por achar que a adesão ao Novo Mercado (um mercado com mais transparência na Bovespa) não tinha sido precificada corretamente. Além disso, a trajetória semelhante dos papéis das duas empresas desde o anúncio da aquisição corrobora esta tese. A divulgação do relatório foi considerada uma das causas para a alta das ações das empresas nos dois últimos dias.Os motivos para o banco acreditar neste valor da Batávia são a possibilidade do crescimento da empresa, cuja atuação hoje está concentrada no Sul e Sudeste, por meio da maior penetração da Perdigão. Enquanto que a primeira tem aproximadamente 12 mil clientes no Brasil, a segunda tem 70 mil.O banco enxerga a possibilidade de captura de sinergias, principalmente custos administrativos e de distribuição. "Apesar de a Batávia ter margem bruta alta, de cerca de 40%, apresenta ineficiências nas despesas gerais e administrativas, por isso a margem Ebitda fica em torno de 6%", diz o relatório.Do ponto de vista estratégico, a transação foi também considerada positiva, pois possibilita a diversificação de vendas e menor dependência de produtos de carne, aumenta a força de distribuição da Perdigão, possibilita a introdução de uma marca forte em novas regiões e ganha market share nos mercados da Batávia.As vendas brutas da Batávia em 2005 foram de R$ 640 milhões, ou 11% da receita total da Perdigão. "Estimamos que a Batávia irá representar aproximadamente 15% das vendas consolidadas da Perdigão em 2010 e manter este nível daí pata frente." As taxas previstas de crescimento da receita são de 20% em 2006, 25% em 2007 e 2008, 15% em 2009 e 2010.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.