Compra da Santa Cruz reforça consolidação ca CPFL, diz Brascan

O Banco Brascan considerou positiva a compra da Companhia Luz e Força Santa Cruz pela CPFL Energia, anunciada na segunda-feira, pelo valor de R$ 203 milhões. A instituição financeira manteve a recomendação de compra para as ações da CPFL e o preço-alvo de R$ 38,80, representando um potencial de valorização de 38,4% em 12 meses, sobre a cotação de 02 de outubro. "A aquisição faz parte da estratégia da empresa de atuar fortemente como consolidadora no setor elétrico nacional", dizem os analistas Felipe Cunha e Diego Núñez. Embora a transação não seja tão representativa, com o faturamento da distribuidora comprada, por exemplo, representando apenas 2% da CPFL, os analistas afirmam que os múltiplos anunciados para a transação parecem, em uma primeira análise, positivos. Eles citam o valor da empresa sobre o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortizações) de 2005 de 7,1 vezes, abaixo do patamar de 8,7 vezes para a mesma relação da CPFL. "Recordamos, contudo, que a análise por este tipo de indicador fica um pouco comprometida devido às diferenças de negócios das empresas, já que a CPFL atua também nos segmentos de geração e comercialização de energia", afirma. A Standard & Poor's Ratings também informou que o anúncio da compra da distribuidora não afetará a nota brA+/Positiva, que é atribuída pela instituição à CPFL Energia na Escala Nacional Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.