Conheça as ações preferidas para outubro

Bradesco PN. O Bradesco amortizou integralmente o ágio de aquisições passadas. Isso retira uma diferença contábil que influenciava significativamente o pagamento de dividendos e, portanto, o valor das ações. Além disso, o acionista que detiver as ações até 5 de outubro terá direito a um dividendo adicional pago pelo banco para incentivar uma oferta de subscrição em dezembro, além da possibilidade de vender este direito de subscrição no mercado, gerando mais proventos. Fora estes eventos pontuais, acreditamos que Bradesco apresentará o resultado mais forte dentre os bancos no 3º trimestre de 2006, em grande parte devido a sua menor exposição à carteira de crédito de alto risco. Copel PNB. Acreditamos que a empresa deva apresentar bom desempenho em outubro devido à existência de boas notícias que devem ser divulgadas no curto prazo: (i) bom posicionamento para o leilão de energia nova, agendado para 10 de outubro, especialmente em relação ao projeto de Mauá, no Paraná; (ii) iminência de resolução da questão de Araucária, via locação da usina para a Petrobras; e (iii) a tese de investimento da empresa possui um alto componente de risco político e o aumento da probabilidade de vitória do candidato de oposição, Osmar Dias, pode ser considerada boa notícia para a Copel. Suzano Papel e Celulose PNA. Temos Suzano como top pick do setor de commodities por (i) apresentar maior potencial de valorização do setor, (ii) possuir uma tese de investimento interessante de desalavancagem; e (iii) estar relativamente avançada em sua onda de investimento no projeto de Mucuri, com início de produção esperado para outubro de 2007. NET PN. A companhia deve anunciar investimento adicional de R$ 200 milhões para 2007 para aumentar a cobertura de banda larga em algumas regiões. Essa iniciativa demonstra o otimismo da companhia no crescimento operacional para os próximos exercícios, o que reforça a nossa recomendação de compra dos papéis. Lojas Americanas PN. Enxergamos o fraco desempenho das ações de Lojas Americanas como um ponto interessante de entrada. Continuamos acreditando que a empresa é o melhor veículo para se expor no setor de varejo brasileiro, que tende a se desenvolver com o ambiente de quedas de taxas de juros e aumento de renda da população. ? Na carteira recomendada, estamos aumentando a alocação em mineração e siderurgia para neutra, pois acreditamos que alguns indicadores já estão sinalizando um momento mais favorável para esses setores. Também estamos incluindo as ações de Localiza na carteira, por esperarmos bons resultados no terceiro trimestre. Já na ponta contrária, estamos reduzindo a exposição no setor de papel e celulose para neutra, concentrando a alocação em Suzano Papel e Celulose. Passamos o setor de petróleo e petroquímicos de neutro para underweight (expectativa de valorização acima da média do setor), concentrado nas ações de Petrobras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.