Conselho da Inco se mantém neutro sobre proposta da Vale do Rio Doce

A mineradora canadense de Inco, líder no mercado mundial de níquel, afirmou não haver necessidade de que seus acionistas tomem qualquer decisão, no momento, com relação a proposta de 86 dólares canadenses por ação recebida da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD). O conselho de administração da Inco declarou que permanecerá neutro e não fará recomendação aos acionistas sobre a oferta da mineradora brasileira - mas continua a recomendar a rejeição da oferta não solicitada da Teck Cominco Ltd., de Vancouver.Segundo a Inco, seu conselho tem analisado atentamente a proposta da Vale, considerando também as obrigações legais previstas no acordo de combinação firmado anteriormente com a norte-americana Phelps Dodge. Segundo a empresa, apesar de sujeito a exceções, o acerto com a Phelps Dodge requer que o conselho da Inco continue a recomendar aos seus acionistas que votem em favor da transação, a menos que haja uma outra oferta, "superior" (nesse caso, a da CVRD).Em comunicado, a mineradora canadense revela que o conselho ainda não seguiu nessa direção e continua a recomendar que os acionistas votem em favor da proposta de combinação com a Phelps Dodge. No entanto, o próprio conselho declarou que a oferta da Vale tem potencial para superar as demais, permitindo as negociações. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

15 de agosto de 2006 | 09h01

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.