Contrato mais líquido de Depósito Interfinanceiro tem queda na BM&F

O movimento de redução de operações que apostam na queda das projeções das taxas de juros, que provocou alguma pressão o mercado ontem, deve prosseguir hoje, na opinião de operadores. Embora o cenário continue favorável à redução da taxa Selic e as preocupações com o mercado internacional ainda não comprometam esse ambiente positivo, operadores acreditam que, tecnicamente, não há espaço hoje para quedas fortes dos juros na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). "O mercado está oscilando ao redor de um preço que convida investidores para uma realização de lucros", afirma um operador. "O mercado vem há tempos apostando na queda dos juros e como as com as taxas estão em níveis muito baixos, esses investidores ficam mais confortáveis reduzindo um pouco essas posições", explicou um operador. "E parece claro que esse movimento não acabou", acrescenta. Esse ajuste técnico, no entanto, não sugere qualquer mudança na percepção dos profissionais sobre o cenário benigno para a redução da taxa Selic. Os dois indicadores de inflação divulgados nesta manhã - IPC da Fipe e IGP-M - vieram em linha com essa análise positiva. O mercado pode operar com cautela ao longo da manhã na expectativa pela reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês). Embora seja provável que não haja qualquer surpresa, investidores devem ficar retraídos, no aguardo pela confirmação da decisão. Na abertura do pregão viva-voz, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) mais negociado, com vencimento em janeiro de 2008, tinha taxa anual de 13,63%, com perda de 0,02 ponto porcentual em relação a ontem.

Agencia Estado,

20 de setembro de 2006 | 10h10

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.