Contratos de petróleo fecham em direções divergentes

Os contratos futuros de petróleo fecharam em direções divergentes nesta quinta-feira, 20, enquanto os investidores digeriam indicadores positivos dos EUA e os sinais mais recentes sobre o futuro da política monetária norte-americana.

LUCAS HIRATA, Agencia Estado

20 de março de 2014 | 19h29

No dia de seu vencimento, o petróleo negociado na Nymex com entrega para abril caiu abaixo de US$ 100 por barril, pressionado por um dólar mais forte em meio a sinais de uma elevação de juros mais cedo do que o esperado pelo Federal Reserve.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo para abril fechou em queda de US$ 0,94 (0,94%), a US$ 99,43 por barril. O petróleo para maio fechou em baixa de US$ 0,27 (0,3%), a US$ 98,90 por barril. Na IntercontinentalExchange (ICE), em Londres, o petróleo Brent para maio fechou em alta de US$ 0,60 (0,57%), a US$ 106,45.

Como previam os analistas, o Fed reduziu suas compras mensais de bônus em mais US$ 10 bilhões, mas sua presidente, Janet Yellen, sugeriu que os juros dos EUA podem começar a subir cerca de seis meses depois do fim do programa de estímulo, o que surpreendeu diversos agentes do mercado.

A sessão desta quinta-feira também contou com indicadores majoritariamente positivos nos EUA. O índice de atividade regional do Fed da Filadélfia subiu mais que o esperado em março e o índice de indicadores antecedentes dos EUA, medido pelo Conference Board, também avançou mais que o previsto em fevereiro. As vendas de moradias usadas, por sua vez, caíram em fevereiro, mas ficaram em linha com as projeções, enquanto o número de pedidos de auxílio-desemprego subiu na semana passada, conforme a expectativa dos analistas.

O petróleo negociado na Nymex teve um impulso momentâneo após os indicadores norte-americanos. Dados econômicos positivos reforçam expectativas de que o Fed vai continuar retirando o seu estímulo monetário para a economia, mas também implicam em potencial de uma maior demanda por energia. No caso do Brent, os ganhos obtidos após os dados foram sustentados, com alguns momentos de trepidação, até o final da sessão. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Tudo o que sabemos sobre:
petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.