Coreia do Sul manterá déficit fiscal para ter avanços

O governo da Coreia do Sul afirmou nesta quinta-feira que vai manter um déficit fiscal em 2014 para impulsionar a economia do país.

AE, Agencia Estado

26 de setembro de 2013 | 04h29

O plano do Ministério de Estratégia e Finanças sul-coreano mostrou que os gastos totais do governo do país devem subir 4,6% no ano que vem, para 357,7 trilhões de wons (US$ 332 bilhões), enquanto o seu lucro cairá em 0,5%, para 370,7 trilhões de wons.

De acordo com o ministério, o déficit fiscal corresponderá a 1,8% do produto interno bruto (PIB) em 2014. Para este ano, o ministério havia planejado um déficit fiscal de 0,3% do PIB, mas depois decidiu alargar o déficit fiscal para 1,8%, por meio da elaboração de um orçamento extra para estímulos econômicos.

Além disso, o governo sul-coreano espera que a dívida soberana global cresça para 36,5% do PIB no próximo ano. Para 2013, a previsão era de 34,3% e foi revisada para 36,2% em função dos gastos extras.

O ministério disse que, sob o novo plano do orçamento, os gastos do governo se concentram em estimular a economia e na criação de empregos. Além disso, considerou que alguns planos de previdência foram reduzidos, devido à quebra das receitas. O plano deve ser apresentado ao Parlamento até 2 de outubro para que o orçamento seja submetido à aprovação. Fonte: Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.