Crescimento do PIB é fato positivo para Natura, diz Bossert

O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro no primeiro trimestre deste ano surpreendeu o gerente de Relações com Investidores da Natura, Helmut Bossert. "Para a Natura, isso é ótimo. O aumento do PIB é fundamental para o nosso crescimento", comentou o executivo, lembrando que o setor de consumo está altamente atrelado ao desempenho da economia. O resultado do PIB, divulgado na última quarta-feira pelo IBGE , apresentou crescimento de 3,4% do PIB, em relação a igual período do ano passado, e ficou dentro das previsões de analistas consultados pela Agência Estado. Sobre a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), que cortou em 0,5 ponto porcentual a taxa Selic, para 15,25%, Bossert considerou que a redução dos juros ficou dentro do cronograma. "Gostaríamos de uma queda maior, mas no Brasil tudo precisa ser feito com cautela", avaliou. Apesar dos juros ainda elevados, o gerente da Natura considera que o desempenho da economia "privada" vai muito bem. "O empresariado brasileiro é um dos mais preparados do mundo. Não é nada fácil correr 100 metros rasos com uma bola de ferro de 100 quilos no pé", comentou. O executivo da Natura disse ainda que a empresa está otimista em relação ao seu desempenho no segundo trimestre, apesar da desaceleração nas vendas nos três primeiros meses do ano. "Já vínhamos falando ao mercado sobre a exaustão dessa taxa de crescimento", afirmou. Bossert acredita que as operações internacionais da empresa serão o grande destaque de evolução a longo prazo. Ele disse ainda que, recentemente, a companhia iniciou atividades no México e em breve atuará também na Venezuela e Colômbia. O gerente da Natura afirmou que as tensões políticas nesses países não devem alterar os planos da empresa. "Hoje é o (Hugo) Chávez (presidente da Venezuela), amanhã é outro. Não estamos preocupados com isso. Estamos pensando no longo prazo", justificou. Bossert participa do evento Destaque Empresas, realizado pela Agência Estado para premiar as melhores companhias abertas de 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.