Crise europeia prejudica bolsas da Ásia

Hong Kong perde 1,3% e Xangai recua 0,5% 

Hélio Barboza, Ricardo Criez e Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado,

16 de dezembro de 2010 | 08h22

Os principais mercados asiáticos fecharam em queda nesta quinta-feira, abalados principalmente pelos temores referentes à crise de débito na Europa.

Este foi o caso da Bolsa de Hong Kong, onde 42 dos 45 índices que compõem o Hang Seng apresentaram baixa. O HSI caiu 306,57 pontos, ou 1,3%, e terminou aos 22.668,78 pontos.

A Bolsa de Tóquio fechou em leve alta, liderada pelas ações do Sumitomo Mitsui Financial Group e do Mitsubishi UFJ Financial Group, diante da força demonstrada pelo programa de compra de ativos do Banco do Japão (BoJ, banco central), que deixou em segundo plano as preocupações com a zona do euro. O índice Nikkei 225 avançou 1,51 ponto, ou 0,01%, e fechou aos 10.311,29 pontos.

Já a Bolsa de Xangai, na China, teve moderada queda por conta de declínios em ações do setor financeiro, em virtude de preocupações sobre medidas adicionais de aperto monetário no curto prazo. O índice Xangai Composto perdeu 0,5% e terminou aos 2.898,14 pontos. Já o índice Shenzhen Composto avançou 0,1% e encerrou aos 1.346,83 pontos.

O yuan se desvalorizou em relação ao dólar, devido à alta na taxa de paridade central dólar-yuan (de 6,6566 yuans para 6,6635 yuans) e ao fortalecimento da moeda norte-americana nos mercados internacionais. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,6633 yuans, de 6,6555 yuans do fechamento de quarta-feira.

Em Taipé, a Bolsa de Taiwan fechou na maior pontuação desde maio de 2008, com investidores estrangeiros comprando ações de empresas de tecnologia e telecomunicações. O índice Taiwan Weighted subiu 0,3% e encerrou aos 8.782,2 pontos.

Na Coreia do Sul, a Bolsa de Seul fechou em ligeira queda depois de três dias seguidos de alta, pressionada pelas preocupações com a crise da dívida na zona do euro. O índice Kospi recuou 0,4% e fechou aos 2.009,24 pontos.

A Bolsa de Sydney, na Austrália, fechou no maior nível em cinco semanas, com os investidores ignorando os recuos das bolsas do Ocidente, que caíram após as notícias pessimistas sobre as dívidas da Espanha. O índice S&P/ASX 200 subiu 0,3% e terminou aos 4.784 pontos.

Nas Filipinas, a Bolsa de Manila deu sequência à realização de lucros com perda de 1,2% no índice PSE, encerrando aos 4.039,40 pontos.

A Bolsa de Cingapura terminou estável em fraco volume com os investidores em sua maioria de lado devido a renovadas preocupações sobre a economia depois de a Moody''s pôr o rating da Espanha em revisão para um possível rebaixamento. O índice Straits Times teve alta de apenas 0,47 ponto e fechou aos 3.147,67 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, recuou 2,4% e fechou aos 3.571,73 pontos, com novas preocupações sobre as dívidas soberanas na zona do euro levando os fundos estrangeiros a venderem blue chips.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, recuou 0,6% e fechou aos 1.029,60 pontos, com as maiores ações liderando as perdas.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, recuou 0,8% e fechou aos 1.497,52 pontos, uma vez que os problemas de dívida soberana da zona do euro afetaram o sentimento local. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.