CSN deve anunciar investimentos de R$ 6 bi no RJ

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) deve anunciar dentro de duas semanas investimentos de R$ 6 bilhões no Rio, anunciou hoje o secretário de Desenvolvimento do Estado, Maurício Chacur, após se reunir por cerca de duas horas com a governadora Rosinha Matheus e o presidente da companhia, Benjamin Steinbruch. O executivo deixou o local sem falar com a imprensa.Segundo o diretor corporativo do grupo, Paulo Felipe Borges, "faltam alguns detalhes a serem acertados para que o investimento seja efetivado". De acordo com o secretário Chacur, estes detalhes estariam relacionados a uma reivindicação da empresa por maiores descontos e isenções tributárias para compensar não somente o investimento, mas também a geração de empregos, que deve chegar a até 8 mil vagas diretas e indiretas."Está tudo praticamente certo, nós oferecemos os descontos padrões e eles querem mais para chegar aos US$ 6 bilhões. De qualquer maneira, se o que eles pedem não puder ser investido, este valor será um pouco reduzido, mas a maior parte dele deve ficar mesmo no Rio", disse Chacur.O secretário de Energia, Indústria Naval e Petróleo do Estado do Rio, Wagner Victer, que também participou da reunião, disse que o principal ponto em questão é se a CSN vai ou não investir na construção de mais dois altos-fornos, além de dois já programados. Pelo projeto inicial, que envolve algo em torno de R$ 4,5 bilhões, a empresa pretendia construir próximo ao porto de Itaguaí uma usina com dois altos-fornos para a produção de, no mínimo, três milhões de toneladas de aço. Simultaneamente, seria instalada uma fábrica de cimento e ainda uma usina termelétrica com a utilização do vapor gerado pela siderúrgica. A idéia é começar as obras até o início de 2007, para que a unidade esteja operando em quatro anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.