CSN irá aderir ao nível 1 de governança da Bovespa em dezembro

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) vai aderir ao nível 1 de governança corporativa da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) no dia 7 de dezembro. "Esperamos que a CSN volte a ocupar posição proporcional ao tamanho da empresa junto a analistas de banco, de crédito, corretoras e investidores institucionais", diz o diretor de Relações com Investidores da empresa, José Marcos Treiger. O executivo conta que nos últimos cinco anos a CSN "não teve um papel ativo na relação com investidores", pois passou por um período de reestruturação em que se dedicou a "obter solidez financeira e a solucionar questões societárias". "Temos um baixo nível de dívida, forte geração de caixa, ADRs negociados nos Estados Unidos e conselheiros de renome. Todas as nossas ações dão direito a voto, e nosso custo de produção de placa, de US$ 200 por tonelada, é o melhor do mundo", diz Treiger. Segundo o diretor, a relação entre a dívida líquida e o Ebtida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortizações) da empresa era de 1,3 vez em 30 de junho. "É possível que até o fim do ano essa relação fique menor", diz.

Agencia Estado,

29 de setembro de 2006 | 14h57

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.