CSN pode ter usina com chinesa Baosteel

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e a Baosteel, maior empresa siderúrgica chinesa, estão em negociação para construir usinas de placas com capacidade para produzir 6 milhões de toneladas de aço por ano, segundo informou o órgão da imprensa oficial chinesa, China Business News. Cada empresa seria dona de 50% do negócio. Procurada, a CSN não quis se pronunciar a respeito do assunto.De acordo com os profissionais, a medida é boa para a companhia brasileira por dois fatores principais: uma produção que nasce com comprador fechado e o alívio de caixa, já que haverá um parceiro para ajudar a bancar os investimentos. Os analistas lembram que a CSN já havia informado sobre a intenção de construir as unidades, mas sem avisar que teria um sócio.Outro fator positivo é a perspectiva de aumento de margem, já que o minério de ferro utilizado seria transformado em placas, um produto de maior valor agregado, em vez de o excedente ir para a Vale do Rio Doce.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.