Cúpula da UE traz cautela a bolsas europeias

Maioria dos mercados fechou em território positivo, mas permaneceu perto da estabilidade

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

16 de dezembro de 2010 | 16h12

Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em território positivo, em sua maioria, mas permaneceram perto da estabilidade, refletindo a cautela dos investidores antes do desfecho da reunião do Conselho Europeu, que durará dois dias e deve trazer mais definição sobre o mecanismo de financiamento para países da região que passarem por dificuldades financeiras.

"Acho que os mercados estão numa fase de redução de exposição antes do final do ano", disse o estrategista Peter Dixon, do Commerzbank. "Não faz muito sentido assumir grandes posições nesse estágio", acrescentou. Segundo ele, o volume de negócios desta semana ficou pelo menos 25% abaixo da média.

O índice pan-europeu Stoxx Europe 600 fechou em alta de 0,91 ponto, ou 0,33%, a 277,44 pontos. O índice FTSE 100, da Bolsa de Londres, caiu 0,46 ponto, ou 0,01%, para 5.881,12 pontos. Na Bolsa de Paris, o CAC 40 avançou 8,17 pontos, ou 0,21%, para 3.888,36 pontos. O Xetra DAX, da Bolsa de Frankfurt, fechou em alta de 8,03 pontos, ou 0,11%, para 7.024,40 pontos, enquanto o Ibex 35, da Bolsa de Madri, teve ganho de 0,50 ponto, para 10.010,30 pontos.

As ações da BP fecharam em queda de 1,37% após o governo dos EUA ter aberto um processo cível contra a companhia por causa do derramamento de petróleo no Golfo do México.

Entre os bancos espanhóis, Banco Popular caiu 1,46%, Banesto recuou 0,97% e BBVA perdeu 0,41%. Parte do declínio foi motivado pelo fato de a Espanha ter sido obrigada a oferecer retornos maiores para os investidores durante um leilão de bônus soberanos realizado mais cedo. A Espanha vendeu 2,401 bilhões de euros em bônus de 10 e 15 anos no mercado internacional.

Em Atenas, o índice ASE subiu 2,40 pontos, ou 0,16%, para 1.487,39 pontos. Após o fechamento da bolsa, a agência de classificação de risco Moody''s colocou o rating dos bônus governamentais em moeda local e em moeda estrangeira da Grécia em revisão para possível rebaixamento.

Um indicador divulgado hoje mostrou que o setor privado da zona do euro se expandiu em um ritmo mais lento em dezembro. O índice dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) composto - que reúne tanto o segmento industrial quanto o de serviços - caiu para 55,0, de 55,5 em novembro. Leituras acima de 50 indicam expansão da atividade.

Já o índice de preços ao consumidor da zona do euro subiu 0,1% em novembro ante outubro e avançou 1,9% na comparação com novembro do ano passado, informou a agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat. O núcleo do índice, que exclui preços de energia, alimentos, tabaco e bebidas alcoólicas, caiu 0,1% em novembro ante outubro e subiu 1,1% na comparação com novembro de 2009. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropaaçõesConselho Europeu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.