Custo de proteção contra calote da Grécia cai, mas ainda é alto

Logo após o anúncio do pedido formal, spread do CDS de cinco anos da Grécia caiu para 570 pontos-base

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

23 de abril de 2010 | 11h31

As questões relacionadas à dívida soberana da Grécia continuaram dominando o mercado de crédito europeu nesta sexta-feira, com a notícia de que o primeiro-ministro, George Papandreou, formalmente requisitou ajuda financeira da União Europeia e do FMI provocando contração dos spreads. O custo para garantir proteção contra um eventual calote da dívida soberana da Grécia cedeu, mas permaneceu em níveis ainda elevados.

 

Há cerca de uma hora, o spread do contrato de swap de proteção contra calote soberano da Grécia (CDS, na sigla em inglês) durante cinco anos cedia 33 pontos-base para 601 pontos-base, de acordo com a CMA DataVision. Isso significa que o custo de proteção contra calote sobre um montante de US$ 10 milhões em papéis soberanos da Grécia durante cinco anos era de US$ 601 mil ao ano.

 

Logo após o anúncio do pedido formal, o spread do CDS de cinco anos da Grécia caiu para 570 pontos-base. Ontem, atingiu um recorde de 650 pontos-base.

 

O spread dos CDS de Portugal, Espanha e Itália também recuaram na esteira da requisição da ajuda. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciadívidacalote

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.