Custo do seguro contra default de países periféricos da zona do euro cai

Custo anual para garantir US$ 10 milhões em bônus gregos contra default por cinco anos recuou para US$ 675 mil, depois de ter chegado a US$ 900 mil no início do dia

Danielle Chaves, da Agência Estado,

28 de abril de 2010 | 11h44

O custo do seguro dos bônus de países periféricos da zona do euro contra default diminuiu nesta manhã, depois que o ministro de Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble, afirmou que o país está preparado para acelerar o desembolso de fundos necessários para ajudar a endividada Grécia.

 

Os mercados de crédito haviam se enfraquecido significativamente no início do dia, enquanto os investidores temiam que a situação grega se espalhasse para outros países endividados do bloco do euro. Mas os comentários de Schaeuble deram suporte para os mercados, ajudando os swaps de default de crédito (CDS) caírem abaixo dos níveis do fechamento de ontem.

 

O custo anual para garantir US$ 10 milhões em bônus gregos contra default por cinco anos recuou para US$ 675 mil, depois de ter chegado a US$ 900 mil no início do dia, de acordo com a Markit. O custo do mesmo seguro dos bônus portugueses diminuiu para US$ 310 mil, de US$ 430 mil. Para os bônus de Irlanda e Espanha, o custo caiu para US$ 190 mil e US$ 180 mil, respectivamente.

 

A Câmara Baixa do Parlamento alemão pode aprovar a lei necessária para ajudar a Grécia na sexta-feira da próxima semana, segundo Schaeuble, que fez o comentário após reunião com o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, e o diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, em Berlim. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
custosegurobônus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.