CVM e PF investiga fraudes em administração de carteiras

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e a Polícia Federal (PF) iniciaram, na manhã desta terça-feira, 10, a Operação Churning com o objetivo de reprimir "possíveis ilícitos" praticados por três agentes autônomos de investimento em operações no mercado de ações, não revelados. A prática de churning é a realização, por um intermediário, de sucessivas operações com o objetivo de gerar maiores receitas com taxas de corretagem e comissões.

FERNANDA GUIMARÃES, Agencia Estado

10 de setembro de 2013 | 09h05

De acordo com nota distribuída pela CVM, as medidas de busca e apreensão foram autorizadas judicialmente, com a finalidade de se obter provas que instruirão procedimentos de investigação acerca de possível prática de administração irregular de carteira, sem o necessário registro na CVM, assim como de eventual churning. "A PF e a CVM entendem que a presente operação é mais um fruto positivo do acordo de cooperação mantido pelas duas instituições", informou em nota.

Tudo o que sabemos sobre:
CVMPFchurning

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.