CVM investigará forte alta das ações da Varig

A forte alta das ações da Varig nos últimos dias despertou a atenção da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A autarquia confirmou que irá analisar a movimentação dos papéis, que vem apresentando uma variação de preço e um volume de negócios acima da média histórica. A CVM informa que essa é uma avaliação de praxe, que sempre ocorre quando uma ação cai no filtro de análise da área técnica do órgão. Por volta das 14h40, as ações PN subiam 57,07%, para R$ 6,55, com volume financeiro de R$ 61 milhões. A média histórica de movimentação do papel é inferior a R$ 100 mil diários. Ontem, a CVM encaminhou um ofício ao juiz Luiz Roberto Ayoub, da 8ª Vara Empresarial, responsável pelo processo de recuperação judicial da companhia aérea. No documento, a autarquia responde à solicitação do juiz, que determinou um prazo de 24 horas para que fosse informado quais os critérios de avaliação que poderiam ser usados na integralização das ações da Varig no FIP-Controle. O fundo receberá as ações da Fundação Rubem Berta (FRB) e passará a ser o acionista da companhia. O órgão informou que esse critério ficará a cargo da instituição que solicita o registro do FIP. No ofício, a autarquia destaca que a permissão da escolha do critério de avaliação não exclui a obrigação da empresa de publicar as demonstrações financeiras pendentes, como determina o artigo 176 da Lei das S/As.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.