CVM vai divulgar ranking de reclamações e comparação de fundos

O aguardado portal de internet voltado ao investidor pessoa física e desenvolvido pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) deve ser lançado em dezembro deste ano, tendo como uma das novidades previstas a divulgação de estatísticas sobre as consultas e queixas recebidas pela autarquia. O chamado Portal do Investidor terá endereço próprio e uma linguagem distinta do site da entidade, com o objetivo de reforçar o papel de educação aos participantes de mercado. Além das principais dúvidas a respeito de companhias abertas, fundos de investimento e práticas de mercado, será publicado um ranking mensal das instituições e empresas com o maior número de reclamações, detalha o superintendente de Proteção e Orientação do Investidor da CVM, José Alexandre Cavalcanti Vasco. A publicação das estatísticas, contudo, pode não ser lançada junto com o portal. ?O projeto está dentro do plano estratégico da CVM para os anos de 2005 a 2007, e a idéia é concluí-lo até o final desse prazo?, afirmou. Outra novidade da página será uma ferramenta, atualmente em fase de testes, que permitirá a análise e comparação de fundos de investimento, com base nos dados enviados por todas as instituições à CVM. Essas informações já podem ser acessadas na página da autarquia, mas não estão dispostas de uma forma considerada "amigável" a qualquer usuário. Com a ferramenta, o aplicador poderá pesquisar as carteiras a partir de parâmetros como taxa de administração, rentabilidade e volatilidade, entre outros. "Desta forma, além de informar o consumidor, pretendemos estimular a concorrência", disse. Vasco alerta, contudo, que é preciso cuidado no uso das pesquisas e da comparação. "Um fundo que apresenta rentabilidade alta no passado pode não repetir o desempenho. Além disso, os riscos associados a esses produtos também costumam ser maiores." Com relação à taxa de administração, um porcentual mais alto pode indicar um tipo de serviço mais elaborado, ponderou. O portal será dividido em quatro grandes áreas, a principal delas desenvolvida para os investidores de varejo, na qual haverá jogos, desafios e informações didáticas sobre praticamente todas as opções disponíveis no mercado, inclusive aquelas não fiscalizadas pela CVM (como a Poupança), segundo o superintendente. Haverá também um espaço voltado para os estrangeiros, com informações, em inglês e espanhol, sobre a economia brasileira e o mercado de capitais, além de como investir e procurar o órgão regulador em caso de problemas. O meio jurídico também contará com uma seção específica, com temas ligados ao mercado de valores mobiliários. Uma quarta divisão será destinada a estudantes e professores, com materiais e solicitações para trabalhos acadêmicos. O projeto e o formato da página na web, disse Vasco, foram aprovados em março deste ano.O superintendente afirmou que o objetivo da iniciativa é tornar o consumidor de produtos financeiros mais consciente e, desta forma, aprimorar suas decisões de investimento. Ele destaca que o portal não trará recomendações de investimento. "Queremos que o aplicador faça uma escolha consciente de seus riscos e direitos", explicou.

Agencia Estado,

22 de agosto de 2006 | 07h00

Tudo o que sabemos sobre:
fundos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.