Cyrela, Gafisa e Rossi sobem, à espera de pacote

As ações de empresas ligadas ao setor de construção tiveram uma abertura em forte alta hoje na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) diante da expectativa do anúncio de novas regras de estímulo para o setor de crédito imobiliário. Pouco antes das 11 horas, as ordinárias da Cyrela subiam 1,93%, depois de atingirem valorização de 3,96%. As ordinárias da Gafisa tinham ganho de 2% e as ordinárias da Rossi Residencial, de 1,31%. Todas essas empresas atuam nos setores de construção e incorporação. As ordinárias da Company, no entanto, perdiam 1,40% diante do foco da empresa no ramo imobiliário. Segundo analistas, a flexibilização do crédito deverá ser generalizada, no entanto, observa-se que os empreendimentos já em andamento tendem a ser priorizados, o que poderá equilibrar o capital das companhias. A expectativa, também, é de que o risco de crédito seja praticamente eliminado. Já adiado por duas vezes, o anúncio do pacote habitacional é esperado para hoje. O governo deverá anunciar a criação de uma nova linha de crédito imobiliário para a "produção imobiliária". Segundo fonte da equipe econômica, serão R$ 1 bilhão neste ano e mais R$ 1,5 bilhão em 2007 em recursos do FGTS e do FAT que serão emprestados por meio da Caixa Econômica Federal. As taxas de juros ainda não estão definidas, mas o financiamento poderá ser de até 85% do custo da obra. A linha será, segundo a fonte, colocada rapidamente à disposição de construtores e é considerada, pela equipe econômica, a segunda medida de maior impacto do pacote.

Agencia Estado,

12 de setembro de 2006 | 10h53

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.