Dados da China levam bolsas europeias a fecharem em alta

Resultado da produção industrial acima do esperado e taxa de inflação anual abaixo de 3,2% deram peso ao pregão

Agencia Estado

11 de novembro de 2013 | 16h00

Os mercados de ações da Europa fecharam em alta nesta segunda-feira, 11, em meio a um baixo volume de negócios devido a um feriado nos EUA e em vários países da região. Entre os motores da sessão, os positivos indicadores econômicos divulgados pela China no fim de semana impulsionaram os papeis da região. O índice Europe Stoxx 600, que inclui ações de diversas bolsas europeias, encerrou com avanço de 0,26%, aos 323,58 pontos.

As bolsas europeias fecharam em alta depois de mostrarem uma certa volatilidade no começo da sessão. Os últimos indicadores da China foram os principais motores dos ganhos, tendo em vista que deram mais sinais de recuperação da segunda maior economia do mundo. Dentre os números divulgados no fim de semana, a produção industrial do gigante asiático cresceu 10,3% em outubro, superando a previsão de aumento de 10,0%. Além disso, a taxa de inflação anual do país ficou em 3,2%, abaixo da estimativa de 3,3%.

Além disso, o corte de juros do Banco Central Europeu, que reduziu a taxa de refinanciamento para 0,25% e a taxa de empréstimos marginal para 0,75% na semana passada, e o anúncio de criação de 204 mil empregos nos EUA em outubro, bem mais que os 120 mil esperados, continuaram a ajudar na elevação das ações.

Lisboa se destacou entre os mercados de ações da Europa. O índice PSI-20, da capital portuguesa, fechou em alta de 1,07%, aos 6.390,65 pontos, beneficiado pela decisão da Moody''s de elevar a perspectiva do rating soberano de Portugal, de negativa para estável, na sexta-feira, 08.

O índice FTSE Mib de Milão, por sua vez, fechou no maior nível da sessão, aos 19.107,85 pontos, o que corresponde a um avanço de 0,77%. As ações de bancos ficaram entre os melhores desempenhos. O UBI Banca fechou em alta de 2,2% e o Intesa Sanpaolo subiu 1,8%. Já o UniCredit encerrou com ganho de 1,2% antes da divulgação do balanço da empresa. Após o fechamento do mercado, o UniCredit informou que teve um lucro líquido de 204 milhões de euros no terceiro trimestre.

Em Paris, o índice CAC 40 subiu 0,70%, para 4.290,14 pontos, em meio às comemorações do Dia do Armistício no país. Os papéis da AXA lideraram os avanços no índice e fecharam em alta de 2,8%, após a empresa anunciar que entrou no mercado de seguros da Colômbia. Já as ações de companhias que são mais vulneráveis a ciclos econômicos, como a Technip, Bouygues, Vallourec, também registraram ganhos com os positivos dados da China. Os papéis das três empresas subiram 2,4%, 2,2% e 2%, respectivamente.

O índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, fechou em alta de 0,33%, aos 9.107,86 pontos. Entre as empresas que devem divulgar seus balanços nesta semana, a Infineon encerrou o pregão com avanço de 2,4% e o Deutsche Post ganhou 2,0%.

Em Londres, o índice FTSE teve ganho de 0,30%, aos 6.728,37 pontos. As ações da mineradora Lonmin ganharam 3,9% após a empresa informar que voltou a registrar lucro no ano fiscal completo, à medida que se recupera de uma forte greve no ano passado.

Já o índice IBEX 35, de Madri, ganhou 0,43%, aos 9.789,50 pontos. As ações da empresa Grifols registraram uma alta de 4,5% depois de chegar a um acordo sobre a aquisição de uma unidade de negócios da Novartis. (Dow Jones Newswires)

Tudo o que sabemos sobre:
Bolsas de valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.