Dados de imóveis podem sinalizar atual situação da economia dos EUA

São Paulo, 24 - O cenário externo, especialmente os Estados Unidos, continua no centro das atenções. O mercado quer saber se realmente o setor imobiliário norte-americano permanece com sinais de esfriamento, como observou o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Ben Bernanke, em abril. Tanto as vendas de imóveis novos, quanto as de usados recuaram, em termos líquidos, de seus picos no último verão e no outono. E os dados de vendas de imóveis residenciais novos, que saem hoje, podem ajudar a confirmar ou não esse desaquecimento. EUA/Imóveis - O Departamento do Comércio dos Estados Unidos divulga, às 11 horas, os dados de vendas de imóveis residenciais novos em abril. EUA/Bens Duráveis - O Departamento do Comércio Estados Unidos divulga, às 9h30, o indicador de encomendas de bens duráveis em abril. EUA/Petróleo - O American Petroleum Institute (API) e o Departamento de Energia (DoE) divulgam, às 11h30, suas estimativas sobre o nível dos estoques norte-americanos de petróleo bruto e derivados na semana até o último dia 19. EUA/Fed - O diretor do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Randall Kroszner, fala, às 12h45, sobre o uso de estatísticas econômicas em reportagens durante seminário sobre jornalismo em Washington. EUA/Tesouro - O Tesouro dos Estados Unidos leiloa títulos de dois anos. O resultado deve sair às 14 horas. CNT/Sensus/Eleição - A Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulga o resultado da 82ª Pesquisa CNT/Sensus, em Brasília. A pesquisa avalia a preferência dos eleitores na disputa presidencial, os ataques do crime organizado em São Paulo, e os efeitos da nacionalização do gás da Bolívia no Brasil. Os entrevistados foram consultados também sobre Copa do Mundo 2006.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.