Dados dos EUA devem tirar direção única de bolsas em NY

As bolsas de Nova York devem abrir sem direção firme nesta quarta-feira, após a divulgação de indicadores divergentes nos Estados Unidos. Além disso, predomina a cautela antes da cúpula da União Europeia, que começa na quinta-feira. Às 10h15 (pelo horário de Brasília), o índice futuro Dow Jones caía 0,01%, o Nasdaq avançava 0,03% e o S&P se mantinha estável.

ÁLVARO CAMPOS, Agencia Estado

27 de junho de 2012 | 10h29

Nesta quarta-feira, o Departamento do Comércio dos EUA divulgou que as encomendas de bens duráveis cresceram 1,1% em maio, para o valor sazonalmente ajustado de US$ 217,15 bilhões. O resultado marcou a primeira alta em três meses e sugere que o setor manufatureiro se estabilizou um pouco após uma desaceleração no início da primavera (no Hemisfério Norte). O avanço superou a previsão dos economistas, de alta de 0,4%. Mas o dado de abril foi revisado para mostrar queda de 0,2%.

Já o Federal Reserve de Chicago informou que seu índice de atividade industrial do Meio-Oeste recuou 1,0% em maio em relação ao mês anterior, para o nível sazonalmente ajustado de 93,4. Na comparação com igual mês de 2011, entretanto, o índice subiu 10,5%.

De qualquer forma, os investidores nesta quarta-feira vão ficar de olho nas notícias vindas da Europa. À noite, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, se reúne com o presidente da França, François Hollande, em Paris, em preparação para a cúpula de amanhã. "No geral, estamos no modo de espera para a cúpula da UE", comenta Anders Moller Lumholtz, analista sênior do Danske Bank.

Por volta das 10h15 (horário de Brasília), o euro caía para US$ 1,2464, de US$ 1,2492 no fim da tarde de terça-feira em Nova York. O dólar subia para 79,67 ienes, de 79,51 ienes. O índice ICE Dollar, que pesa a moeda norte-americana ante uma cesta de seis principais rivais, ganhava 0,26%, a 82,587 pontos. Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para agosto subia 0,50%, a US$ 79,76 o barril. E na Comex o cobre para julho avançava 0,08%, a US$ 3,3155 a libra-peso.

No front corporativo, o destaque são as ações do Facebook, com várias corretoras iniciando sua cobertura do papel, com avaliações distintas. No horário citado acima, as ações perdiam 2,78% no pré-mercado. Os papéis da Best Buy perdiam 1,34%, após os fortes ganhos de terça-feira, com especulações de que o fundador da varejista, Richard Schulze, estaria estudando fazer uma oferta para tirar a companhia da bolsa.

As ações da Boeing estavam estáveis. A companhia trocou o executivo-chefe da unidade comercial, Jim Albaugh, por Ray Conner, na véspera de um grande evento aéreo no qual a fabricante deve anunciar grandes encomendas para a nova versão do 737 Max. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
NYbolsasEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.