Dados dos EUA levam dólar a cair 0,74% para R$ 1,616

No mês, o dólar comercial acumula alta de 2,67% e no ano, queda de 2,88%

Silvana Rocha, da Agência Estado ,

26 de maio de 2011 | 17h11

O dólar comercial caiu 0,74% hoje e fechou cotado a R$ 1,616 no mercado interbancário de câmbio. A moeda americana foi negociada em baixa desde a manhã e a taxa mínima registrada durante os negócios hoje foi de R$ 1,615; a máxima ficou em R$ 1,625. No mês, o dólar comercial acumula alta de 2,67% e no ano, queda de 2,88%. Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar à vista fechou o pregão desta quinta-feira em baixa de 0,72%, a R$ 1,6162. O euro comercial recuou 0,48% no dia, para R$ 2,284. O Banco Central realizou um leilão de compra de dólar no mercado à vista à tarde, no qual a taxa de corte das propostas foi de R$ 1,6177.

Segundo o economista Sidnei Nehme, sócio-diretor da NGO Corretora, os dados piores do que o esperado da economia norte-americana divulgados hoje pressionaram o dólar para baixo ante o euro e o real, entre outras moedas, embora persista no mercado o pessimismo em relação à crise de dívidas soberanas na Europa. Segundo ele, o enfraquecimento do dólar se explica porque a percepção dos investidores e agentes financeiros é de que os países desenvolvidos da Europa e os EUA tendem à recessão, já que os problemas continuam, mas não é possível agora aos governos socorrerem novamente o sistema financeiro, como fizeram em 2008, por causa do crescimento dos déficits fiscais. Ao mesmo tempo, os emergentes estão diminuindo o ritmo do crescimento de suas economias a fim de conter a escalada da inflação. Com riscos expressivos a serem gerenciados, esse cenário favorece a desvalorização do dólar, avaliou Nehme.

Câmbio turismo

Nas operações de câmbio turismo, o dólar cedeu 0,58% hoje, cotado a R$ 1,72 na ponta de venda e a R$ 1,593 na compra. O euro turismo caiu 1,23%, para R$ 2,407 na venda e R$ 2,22 na compra.

Tudo o que sabemos sobre:
câmbiodólareuromoedas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.