Dados fracos da Alemanha derrubam bolsas europeias

As bolsas europeias fecharam em queda na sua maioria, afetadas por dados fracos da Alemanha, enquanto os participantes do mercado aguardavam cautelosos o depoimento do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, amanhã, em busca de pistas sobre a política monetária americana. O índice pan europeu Stoxx 600 caiu 0,70% e fechou a 295,31 pontos.

Agencia Estado

16 de julho de 2013 | 13h42

O índice de expectativas econômicas na Alemanha medido pelo instituto ZEW, que é uma sinalização do sentimento do investidor para os próximos seis meses, caiu para 36,3 em julho, de 38,5 em junho. O resultado contrariou a previsão dos economistas consultados pela Dow Jones, que esperavam aumento no índice para 40,0.

Dados econômicos dos EUA ajudaram a conter as perdas das bolsas europeias, embora a cautela antes do depoimento do Bernanke tenha predominado. O índice de preços ao consumidor (CPI) subiu 0,5% em junho, ante previsão de alta de 0,4%. A produção industrial do país teve expansão de 0,3% em junho ante o mês anterior, acima do aumento de 0,2% esperado por analistas. Além disso, o índice de confiança das construtoras dos EUA subiu seis pontos em julho, para 57 - o maior nível desde janeiro de 2006.

O índice FTSE 100, da Bolsa de Londres, fechou em queda de 0,45%, aos 6.556,35 pontos. Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 recuou 0,71%, para 3.851,03 pontos. O índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, perdeu 0,41%, para 8.201,05 pontos. Na Bolsa de Milão, o índice FTSE-Mib caiu 0,43%, para 15.529,95 pontos. O índice IBEX-35, da Bolsa de Madri, teve queda de 0,72%, para 7.798,20 pontos. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 contrariou seus pares e encerrou em alta de 0,34%, aos 5.429,49 pontos.

As ações da Telecom Itália recuaram 3,4%, afetada pelo anúncio da companhia de que suspendeu seus planos para dividir sua rede de cobre de linha fixa.

Os papéis da Rio Tinto subiram 2,7% com o volume recorde de produção de minério no segundo trimestre anunciado pela empresa. A Rio Tinto afirmou também que a recuperação de um desabamento em uma grande mina de cobre nos EUA está indo mais rápido que o esperado.

As ações da Deutsche Lufthansa subiram 0,8% com a notícia de que o Goldman Sachs elevou a recomendação para o papel da empresa para neutra, de venda, e o retirou da lista de venda pan-Europa.

A Bolsa de Atenas fechou em alta de 2,3%, aos 818,62 pontos, se recuperando após atingir o nível mais baixo desde novembro de 2012 na sessão de ontem. Os investidores aguardavam uma votação parlamentar de vários projetos, o que tornou o volume de negociação moderado. O clima político continua pesado, com os dois maiores sindicatos trabalhistas do setor privado e do público convocando uma greve em todo o país, em resposta a um plano de colocar cerca de 25 mil funcionários públicos numa reserva especial, que muitos temem que acabará por levar a demissões. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.