Dados fracos de emprego sugerem abertura fraca de NY

Os índices futuros das bolsas de Nova York ganharam força após a publicação de dados mais fracos que o esperado do mercado de trabalho dos EUA, que ajudam a alimentar a especulação de que o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) talvez precise manter os estímulos monetários por mais tempo. Cerca de meia hora depois da divulgação dos números, porém, os futuros operavam em direções distintas, sugerindo que os mercados à vista vão se comportar da mesma forma na abertura. Às 10h20 (de Brasília), no mercado futuro, o Dow Jones caía 0,22% e o S&P 500 recuava 0,14%, mas o Nasdaq tinha alta de 0,10%.

SERGIO CALDAS, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES, Estadão Conteúdo

05 de setembro de 2014 | 10h29

O relatório de emprego, divulgado nesta sexta-feira, 05, decepcionou ao mostrar que os EUA criaram apenas 142 mil empregos em agosto, bem menos que as 225 mil vagas previstas por analistas consultados pela Dow Jones Newswires. A taxa de desemprego, por sua vez, recuou a 6,1% no mês passado, de 6,2% em julho, vindo em linha com a expectativa.

Apesar da surpresa negativa, o dado de geração de empregos reforça apostas de que o Fed não terá pressa de elevar as taxas de juros das atuais mínimas históricas depois que encerrar seu programa de relaxamento quantitativo, que envolve compras mensais de bilhões de dólares em bônus.

No campo geopolítico, os investidores acompanham negociações em Minsk, capital da Bielorrússia, para o fim da crise na Ucrânia. Segundo a agência de notícias russa Interfax, o governo ucraniano chegou a um acordo de cessar-fogo com separatistas pró-Moscou que atuam no leste do país.

No noticiário corporativo, a Apple subia 0,70% no pré-mercado após anunciar que vai aperfeiçoar a segurança de contas de seu serviço de armazenamento na nuvem, conhecido como iCloud. A medida veio após fotos íntimas de atrizes famosas terem vazado na internet recentemente.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresNYempregoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.