Dados positivos ajudam Bolsa encostar nos 60 mil pontos

Indicadores domésticos bons e expectativa de pacote de ajuda para Espanha dão tom otimista aos negócios

Alessandra Taraborelli, da Agência Estado,

16 de agosto de 2012 | 17h29

Indicadores domésticos bons, expectativa de que a Espanha se prepara para pedir um pacote de ajuda e dados mistos nos EUA deram o tom otimista aos negócios. Assim, a Bovespa encostou nos 60 mil pontos e retornou a patamares de três meses atrás. O otimismo atingiu, principalmente, as ações da Petrobras, Vale e os setores de siderurgia e construção.

O Ibovespa encerrou com ganho 2,16%, aos 59.445,79 pontos - na mesma pontuação 11 de maio (59.445,21 pontos). Com isso, o ganho no mês chegou a 5,97% e, no ano, em 4,74%. Na semana, o ganho é de apenas 0,28%. Mas caso este cenário se repita amanhã, será a quarta semana seguida de valorização do índice. O giro financeiro somou R$ 6,525 bilhões.

Por aqui, logo cedo, o IBGE informou que as vendas do comércio varejista restrito subiram 1,5% em junho ante maio, na série com ajuste sazonal. O resultado veio acima do teto do intervalo das estimativas do AE Projeções, que iam de uma queda de 1,50% a uma alta de 0,75%. Na comparação com junho de 2011, a alta foi de 9,5. "O resultado animou os investidores, que estão ávidos por notícias positivas. Como não teve nada negativo lá fora, o investidor focou o mercado doméstico, buscando superar os 60 mil pontos", disse um operador.

As ações da Petrobras fecharam com valorização de 2,09% a ON e 1,95% a PN, em linha com o comportamento do petróleo no exterior. Na Nymex, o contrato da commodity com vencimento em setembro encerrou com ganho de 1,35%, a US$ 95,60 o barril.

Já Vale ON avançou 1,38% e a PNA, +1,18%. Os contratos futuros dos metais básicos fecharam em alta na sua maioria na London Metal Exchange (LME). Entre as siderúrgicas, Gerdau PN subiu 2,72%, Gerdau Metalúrgica PN (+2,18%), Usiminas PNA (+2,55%) e CSN ON (+4,06%).

Entre as empresas do setor de construção, PDG ganhou 10,29%, Gafisa subiu 5,80% e MRV registrou alta de 5,48%, todas figuraram entre os destaques de alta do Ibovespa.

Já o lado negativo foi comandado apenas por três empresas - Ultrapar, Cosan e Vivo -, aliás, as únicas de toda a carteira Ibovespa que fecharam em queda.

Na Europa, circularam rumores de que a Espanha se prepara para pedir um pacote de ajuda e de que o Banco Central Europeu (BCE), consequentemente, retomará as compras de títulos soberanos da zona do euro, a fim de reduzir os custos de financiamento da região. Isso impulsionou os mercados internacionais nesta quinta-feira.

Nos EUA, a alta acima do esperado nas permissões para novas construções de moradias, para o maior nível desde agosto de 2008, foi positiva. Mas, o número de obras de imóveis residenciais iniciadas caiu 1,1% no mês passado. A queda foi maior que o declínio de 0,5% esperado pelos economistas. Em Nova York, o índice Dow Jones encerrou com avanço de 0,65%, S&P 500 subiu 0,71% e o Nasdaq, +1,04%.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsaIbovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.