Danone acusa Nestlé por iogurte

O acelerado crescimento do segmento dos chamados iogurtes funcionais, com fórmulas que beneficiam a saúde auxiliando a regular o intestino, provoca disputa jurídica entre os dois maiores fabricantes, Nestlé e Danone, conforme adiantou a coluna de Sonia Racy. A categoria de alimentos funcionais, segundo levantamento da AC Nielsen para a Nestlé, apresenta expansão de mercado de 325% em volume em apenas dois anos de existência. Como são produtos de maior valor agregado, custam mais e, portanto, provocam melhor receita para as empresas.Com 90% de fatia de mercado, segundo dados de participação aferidos pelo instituto ACNielsen, o rótulo Activia da Danone desembarcou nas gôndolas refrigeradas em 2004, e, desde junho de 2006, enfrenta a concorrência da marca Nesvita, da Nestlé, que partiu para campanhas publicitárias em que compara seu produto com o líder de mercado. Está aí a semente da discórdia.No atual comercial veiculado nos canais de televisão, cujo teor está sendo questionado pela Danone na Justiça, a Nestlé diz que o Nesvita "tem 18% menos calorias, 26% menos gorduras e duas vezes mais cálcio que o concorrente" e ainda afirma que produz o mesmo efeito.A Danone acusou o golpe. Resolveu apelar para a Justiça em vez de recorrer ao Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar), usual nessas pendengas envolvendo peças publicitárias. "Não é da competência desse fórum analisar a questão que está em debate", diz a gerente de Marketing de Activia, da Danone, Lúcia Azevedo. "Temos uma ação mais ampla contra a Nestlé questionando a composição do produto que ela tem no mercado."O quase monopólio de participação de categoria, para Lúcia, é natural, um vez que a Danone desenvolveu o mercado de funcionais. Gastou mais de R$ 90 milhões em ações de marketing nos últimos dois anos.A recente vitória alardeada pela Danone foi obtida na 34ª Vara Cível de São Paulo. A juíza Renata Sanchez Guidugli concedeu liminar à ação contra o comercial de Nesvita, criado pela Giovanni+DRAFTFCB e ainda no ar. "Em seu parecer, a juíza entendeu que a propaganda 'caracteriza concorrência desleal' e determinou que a Nestlé interrompa a veiculação do comercial imediatamente", informa a Danone.A Nestlé sustenta que não promove concorrência desleal. Alega no processo que o Nesvita apresenta em sua composição elementos probióticos, assim como o Activia, e que a Anvisa emitiu um certificado atestando a qualidade de auxiliar no funcionamento do intestino. No final da tarde de ontem, o departamento jurídico da Nestlé entrou com recursos pedindo a suspensão da liminar. Enquanto isso, a propaganda continua no ar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.