Decepção com PIB dos EUA afeta bolsas europeias

Índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,86%, a 280,45 pontos

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

28 de janeiro de 2011 | 16h29

Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em queda, pressionados pelo crescimento levemente menor que o esperado da economia dos EUA no final do ano passado e pelo conflito entre manifestantes e policiais no Egito durante protestos contra o governo do país. Os papéis ligados aos setores de matérias-primas (commodities) tiveram algumas das perdas mais acentuadas da sessão.

No Egito, a polícia utilizou gás lacrimejante, balas de borracha e cassetetes para conter milhares de manifestantes que tomaram as ruas do Cairo para protestar contra o governo. Há aproximadamente uma hora, manifestantes egípcios atearam fogo à sede do partido governista. Nos EUA, o Departamento do Comércio informou que o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu à taxa anualizada ajustada à inflação de 3,2% no quarto trimestre do ano passado, em estimativa preliminar. Os economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam uma expansão de 3,5%.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 2,43 pontos, ou 0,86%, a 280,45 pontos. Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 caiu 83,71 pontos, ou 1,40%, para 5.881,37 pontos. O índice CAC 40, da Bolsa de Paris, perdeu 57,25 pontos, ou 1,41%, para 4.002,32 pontos. Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra Dax teve queda de 52,78 pontos, ou 0,74%, para 7.102,80 pontos. O IBEX, da Bolsa de Madri, recuou 81,70 pontos, ou 0,75%, para 10.747,00 pontos.

Na semana, todos esses índices acumularam queda, com exceção do Xetra Dax, que subiu 0,57%. O IBEX teve a queda mais acentuada, de 0,76%, seguido pelo CAC 40 (-0,38%), pelo Stoxx 600 (-0,29%) e pelo FTSE 100 (-0,25%).

Entre os papéis de mineradoras, tiveram queda acentuada Vedanta Resources (-4,5%), Anglo American (-3,56%) e Rio Tinto (-3,00%). Também caíram Xstrata (-2,02%) e BHP Billiton (-2,40%).

As ações do setor de energia também fecharam em baixa, sob pressão adicional do balanço da Chevron. A companhia norte-americana anunciou um aumento de 72% no lucro do quarto trimestre na comparação com igual período do ano anterior, mas a receita, de US$ 54,03 bilhões, ficou abaixo do esperado. Na Europa, caíram as ações do BG Group (-4,17%) e Shell (-0,47%).

As montadoras também perderam força após o HSBC afirmar que a recuperação do euro em relação a outras moedas pode ser uma ameaça a essas companhias. Em Frankfurt, a Daimler caiu recuou 1,97% e a MAN 3,1%, enquanto em Paris fecharam em baixa Peugeot (-3,04%) e Renault (-3,32%). A Fiat teve queda de 4,51%.

Em Paris, a Sanofi-Aventis caiu 3,83% depois de divulgar que uma droga experimental para o tratamento do câncer de mama não cumpriu os objetivos que deveria durante um estágio final de testes. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropaEgitoPIBEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.