Decisão de InBev de vender marca à Anheuser-Busch agrada analistas

A decisão da InBev de vender a marca Rolling Rock por US$ 82 milhões para a norte-americana Anheuser-Busch Co., anunciada hoje, agradou analistas, embora já fosse esperada por eles. "Isso se encaixa na estratégia da InBev de elevar suas margens", disse Damien Caucheteux, da Petercam. Ele ressalvou, no entanto, que a transação não é tão grande a ponto de mudar sua recomendação de "manter" e o preço-alvo de 41 de euros para as ações do grupo. O preço de US$ 82 milhões, além disso, foi considerado alto. "Pensei que eles fossem conseguir somente US$ 50 milhões", disse Gerdard Rijk, do ING em Amsterdã. "Isso vai melhorar o Ebitda." A quantia não inclui a cervejaria da Rolling Rock em Latrobe, na Pensilvânia. A InBev disse que está "em discussões com potenciais compradores para encontrar a melhor opção disponível para a cervejaria e seus empregados." A aquisição da Anheuser-Busch faz parte da estratégia da companhia norte-americana de enfatizar em marcas premium, segundo Rijk. As informações são da Dow Jones. (Resumo de matéria publicada no AE Empresas e Setores, serviço da Agência Estado que noticia e avalia o desempenho das empresas de capital aberto, de suas ações e de fundos de investimento)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.