Demanda enfraquece e derruba preço do petróleo

As tensões geopolíticas foram insuficientes para tirar os preços da faixa em que têm operado nos últimos oito dias

Agência Estado

28 de julho de 2014 | 08h20

Os contratos futuros de petróleo operam em queda. Nesta manhã, as tensões geopolíticas em diversas partes do mundo são insuficientes para tirar os preços da faixa em que têm operado nos últimos oito dias. Às 7h17 (de Brasília), o contrato do brent para setembro caía 0,86% na ICE, para US$ 107,46 por barril, enquanto o petróleo para setembro negociado na Nymex recuava 0,58%, para US$ 101,50 por barril.

"Ainda há desafios, tendo em vista a fraca demanda por petróleo bruto na Europa e na Ásia, combinada com excesso de embarques na Bacia do Atlântico", comentaram analistas do Morgan Stanley em relatório para clientes. Segundo eles, os preços podem ter de cair um pouco mais para fazer com que os compradores voltem a ter interesse.

Enquanto isso, os riscos geopolíticos persistem. "Os acontecimentos com certeza manterão o mercado de petróleo como está", afirmaram analistas da JBC Energy em nota a clientes. Novos conflitos surgiram na Líbia, que vem tentando aumentar a produção de petróleo, e a União Europeia ampliou as sanções contra a Rússia no fim de semana.

Além disso, a Guarda Costeira dos EUA permitiu que um navio cargueiro com origem no Curdistão descarregasse no litoral do Texas, depois de vários meses de disputas entre a região autônoma curda - que quer exportar seu petróleo - e o Iraque - que quer impedir isso. "Com certeza isso vai aumentar as tensões entre Bagdá e as autoridades curdas", observaram os analistas da JBC. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleodemanda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.