Demanda por emissão do Brasil superou a do Chile e a da Turquia

Chile recebeu demanda 5,7 vezes maior à oferta de US$ 1 bilhão em bônus de dez anos em dólares

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

30 de julho de 2010 | 15h43

Os bônus soberanos do Chile e da Turquia atraíram forte demanda nas respectivas operações de captação realizadas no exterior ontem, mas inferior à demanda obtida pelos bônus soberanos brasileiros emitidos também nesta semana. Brasil e Chile são classificados com grau de investimento pelas três principais agências de rating, enquanto a Turquia ainda tem grau especulativo.

O Chile, melhor classificado entre os países latino-americanos pelas agências de rating, recebeu uma demanda 5,7 vezes maior à oferta de US$ 1 bilhão em bônus de dez anos em dólares, "significando que a demanda atingiu US$ 5,7 bilhões", disse o ministro das Finanças, Felipe Larrain. A operação contava ainda com uma tranche em pesos, equivalente a US$ 520 milhões, em bônus de 10 anos, que teve uma demanda 7,3 vezes superior à oferta, de quase US$ 3,8 bilhões.

A Turquia atraiu ontem mais de cinco vezes os US$ 1 bilhão em eurobônus com vencimento em 2021 ofertados, disse o Tesouro do país, segundo informação da agência de notícias local Ihlas. A operação recebeu oferta de compra de investidores de 23 países, resultando na distribuição de 33% dos papéis para investidores norte-americanos, 20% para investidores do Reino Unido, 14% para investidores de países europeus e 30% para investidores turcos.

Na quarta-feira, o Tesouro Nacional concluiu a operação de reabertura do bônus globais com vencimento em 2021, colocando US$ 825 milhões desses papéis no mercado. Desse total, US$ 750 milhões foram distribuídos nos mercados europeu e norte-americano e US$ 75 milhões no mercado asiático. A demanda pelo Global 2021 chegou perto de US$ 6 bilhões, doze vezes maior que a oferta inicial feita pelo governo brasileiro de US$ 500 milhões.

O Brasil tem classificação de crédito Baa3 pela Moody's e BBB- pela Standard & Poor's e pela Fitch Ratings. O Chile tem classificação de crédito Aa3 pela Moody's, A+ pela Standard & Poor's e A pela Fitch Ratings. A Turquia tem classificação de crédito Ba2 pela Moody's, BB pela Standard & Poor's e BB+ pela Fitch Ratings.

Tudo o que sabemos sobre:
bônuseurobônusMoody's

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.