Demanda por gasolina cai e petróleo recua a US$ 72

Os contratos futuros de petróleo fecharam no nível mais baixo desde junho na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), tendo registrado queda forte também na Bolsa Internacional de Commodities (ICE, de Londres). O comportamento do mercado de futuros de petróleo e derivados foi determinado pelos contratos de gasolina, que caíram ao nível mais baixo desde 17 de maio em reação aos dados dos estoques norte-americanos na semana passada. Segundo operadores, a continuidade do cessar-fogo no Líbano e a redução das projeções de demanda global da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) para 2006 contribuíram para as quedas dos preços. Segundo o Departamento de Energia dos EUA, a demanda norte-americana por gasolina sofreu uma queda de 1,7% na semana até 11 de agosto. Esta foi a primeira queda em quatro semanas, ainda durante o período de férias de verão, quando a demanda costuma ser grande, e pode ser um sinal de que os preços altos finalmente estão começando a ter impacto na demanda, que havia alcançado nível recorde em julho. Os operadores disseram que o movimento de venda acelerou-se depois de os contratos de petróleo bruto para setembro caírem abaixo do nível de suporte técnico de US$ 72,50 por barril. "Aconteceu o suficiente em termos geopolíticos nesta semana para justificar uma queda dos preços", comentou o operador e analista Scott Meyers, da Pioneer Futures. Na Nymex, os contratos de petróleo bruto para setembro fecharam a US$ 71,89 por barril, em queda de US$ 1,16. A mínima foi em US$ 71,70 e a máxima em US$ 73,15. Na ICE, os contratos do petróleo Brent para setembro fecharam a US$ 73,08 por barril, em queda de US$ 0,72, com mínima em US$ 72,72 e máxima em US$ 73,83. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.