Democratas e republicanos declaram apoio a Bernanke

Senadores dos partidos Democrata e Republicano manifestaram publicamente que serão favoráveis à concessão de um novo mandato para o atual presidente do banco central norte-americano (Federal Reserve), Ben Bernanke, quando o assunto for colocado em votação no Senado dos EUA. Até a tarde de hoje, 35 senadores afirmaram que votarão a favor da permanência de Bernanke no Fed, enquanto 17 disseram que serão contrários.

GUSTAVO NICOLETTA,

25 Janeiro 2010 | 18h28

Ainda há 48 senadores que não manifestaram publicamente qual opção escolherão, o que mantém um certo clima de incerteza, visto que as regras do Senado exigem pelo menos 60 votos a favor para que o presidente do banco central continue no cargo.

Entre os que apoiam um novo mandato para Bernanke, estão os democratas Daniel Inouye e Dianne Feinstein e a republicana Lindsey Graham. "Ben Bernanke foi útil à recuperação e, por questões de estabilidade e continuidade, deve ser reconfirmado", disse a senadora Feinstein em um comunicado.

Bernanke foi nomeado presidente do banco central em 2006, após ser indicado pelo ex-presidente dos EUA, o republicano George W. Bush. Ele é um dos responsáveis pelas ações tomadas pelo governo do país entre 2007 e 2008 para combater o que descreveu como a pior crise financeira da história moderna.

Aqueles que defendem Bernanke dizem que ele ajudou a economia norte-americana a evitar um destino semelhante ao da Grande Depressão da década de 1930 ao decidir irrigar o sistema financeiro com mais de US$ 1 trilhão e resgatar grandes instituições do setor, como a seguradora American International Group (AIG).

Os críticos, no entanto, afirmam que ele fez muito para ajudar Wall Street e pouco para ajudar o número crescente de desempregados. Outros argumentam que Bernanke teria sido responsável por alimentar a bolha do mercado imobiliário nos EUA ao endossar a política de juro baixo no início da década.

O mandato de Bernanke no Fed expira no dia 31 de janeiro, mas ainda não foi marcado o dia em que o Senado decidirá sobre a permanência dele no cargo. Nesta semana, as autoridades do banco central norte-americano reúnem-se para definir a política monetária dos EUA. A expectativa é de manutenção dos juros. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.