Direcional faz acordo com grupo árabe para construir casas populares no exterior

A construtora mineira Direcional firmou acordo estratégico, neste sábado (28), com o grupo árabe Red Sea Housing Services para desenvolver casas populares fora do Brasil, conforme fato relevante enviado na madrugada deste domingo (1) à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O país escolhido na primeira etapa do acordo, em linha com a estratégia de explorar mercados com potencial de crescimento, é a Arábia Saudita.

ALINE BRONZATI - ALINE.BRONZATI@ESTADAO.COM, Estadão Conteúdo

01 de março de 2015 | 13h21

Nesta fase, a construtora brasileira prestará serviços à Red Sea Affordable Housing, subsidiária integral do grupo árabe, e assistência no desenvolvimento dos empreendimentos populares pelo prazo de um ano prorrogável até a conclusão dos empreendimentos e renovável por mais 12 meses. Em contrapartida, receberá 50% da geração de caixa desta empresa advindos da construção de empreendimentos populares feitos de acordo com o contrato de prestação de serviços.

"A Direcional assumiu, ainda, obrigações de não concorrência na Arábia Saudita e não solicitação perante a Red Sea pelo prazo de vigência do Contrato de prestação de Serviços e por um prazo adicional de um ano após o seu término", informa a construtora, em fato relevante.

A segunda etapa do acordo prevê a criação de uma joint venture caso a Direcional e a Red Sea estejam satisfeitas com a primeira fase. A nova sociedade será responsável, segundo a construtora brasileira, pela construção de casas populares no Oriente Médio, na África e na Australásia. A Direcional deterá 50% menos uma ação da joint venture enquanto a Red Sea ficará com a participação remanescente.

A Direcional prestará, na segunda etapa da aliança estratégica, consultoria necessária para o desenvolvimento das casas populares a serem feitas pela sociedade. A Red Sea, por sua vez, ficará com a missão de atrair compradores para esses empreendimentos e auxiliar na definição da estrutura financeira dos respectivos projetos, além de prestar assistência em logística, na cadeia de suprimentos e de mão de obra, e também no acesso aos fornecedores locais.

Todos os negócios e atividades relacionados a empreendimentos populares em qualquer país no território acordado terão de ser realizados pela joint venture. O acordo para a constituição da nova empresa entrará em vigor na data em que a Direcional e a Red Sea confirmarem o sucesso de seu relacionamento e terá validade por prazo indeterminado.

A Direcional destaca, em fato relevante, que a constituição da joint venture e a implementação da segunda fase da aliança depende ainda, entre outras condições de praxe, do acordo das partes com relação aos documentos de constituição e estrutura da JV, incluindo sua jurisdição. Acrescenta também que manterá seus acionistas e o mercado em geral informados a respeito de quaisquer eventos subsequentes relevantes.

A Red Sea, com mais de 25 anos de atuação, já desenvolveu projetos em cerca de 60 países. Seu interesse pela brasileira não vem de hoje. No ano passado, chegou a cogitar entrar no capital da construtora, o que não se concretizou.

A Direcional, com sede em Belo Horizonte, atua em 12 estados do Brasil. No ano passado, seus lançamentos consolidados somaram R$ 1,654 bilhão, montante 36% menor que o registrado em 2013. A empresa entregou R$ 1,7 bilhão equivalente a 18.554 unidades. A Direcional divulga suas demonstrações financeiras de 2014 dia 16 de março.

Tudo o que sabemos sobre:
construçãoDirecional

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.