Diretor da GM se demite e ações despencam

As ações da General Motors (GM) chegaram a cair quase 8% logo após a demissão inesperada de Jerome York, diretor da GM e aliado do investidor Kirk Kerkonian, maior acionista individual da companhia. York demitiu-se abruptamente em oposição ao conselho da montadora, que anunciou há dois dias uma decisão de abandonar as negociações de aliança com as montadoras Nissan e Renault. A união havia sido sugerida por Kerkonian e York para melhorar os resultados e valorizar as ações da companhia. Na semana passada, as ações haviam subido aos níveis mais altos das últimas 52 semanas, após notícias de que Kerkorian estaria interessado em aumentar a fatia na GM, mas os papéis voltaram a cair após o encerramento das negociações com Nissan e Renault. O conselho da GM, que tenta recuperar sua posição no mercado com um plano de reestruturação, recentemente endossou a estratégia do executivo-chefe da GM, Rick Wagoner, de "ir em frente a sós", indicando que a maior parte dos diretores apóia os planos do executivo. York ficou frustrado com o fato de sua liderança ter sido questionada por Wagoner e pelo conselho e resolveu sair. As negociações entre a GM e a Nissan/Renault foram encerradas porque os dois lados não chegaram a um consenso sobre o valor de um eventual acordo. A montadora norte-americana queria receber um prêmio de bilhões de dólares para entrar numa aliança com as companhias francesa e japonesa. A Tracinda, a companhia de investimento de Kerkorian, imediatamente afirmou que lamentava o fato de "o conselho não ter feito o próprio julgamento" sobre a possível aliança entre as montadoras, como havia sugerido. Kerkorian, que havia afirmado que estaria interessado em adquirir mais 12 milhões de ações da GM para aumentar a pressão sobre o conselho, negou, na sexta-feira, que sua empresa estaria interessada em adquirir mais ações no momento. A Tracinda detém, atualmente, uma fatia de 9,9% da montadora com 56 milhões de ações. "Apesar de acreditarmos que Kirk Kerkorian está muito frustrado com a GM, não acreditamos que venderá seus papéis", afirmou o analista John Murphy, da Merrill Lynch, em nota a investidores. As ações da GM caíam 6%, para US$ 31,14, em Nova York às 15h15 (de Brasília). As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

06 de outubro de 2006 | 15h50

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.