Dirigente do BOE defende aperto imediato, diz jornal

Uma elevação de taxas de juros agora no Reino Unido ajudaria a garantir que o Banco da Inglaterra (BoE) desenvolvesse um ciclo de aperto monetário futuro suave e gradual, afirmou o integrante do conselho da instituição Ian McCafferty.

AE, Estadão Conteúdo

26 de outubro de 2014 | 07h49

Em um artigo para o jornal Sunday Times, o dirigente disse que o ritmo de crescimento no Reino Unido significa que a ociosidade na economia, o que normalmente mantém a inflação sob controle, está recuando rapidamente.

"Até meados do próximo ano, qualquer ociosidade que restar deve ser pequena - se ainda existir", escreveu McCafferty.

"Iniciar a elevação da taxa do banco agora aumenta a probabilidade de que o aperto necessário nos próximos anos para entregar nossa meta de inflação poderá ser mantido gradual e limitado", acrescentou, referindo-se a taxa de juro de referência do BoE.

McCafferty é um dos dois, entre os nove membros do conselho, que defende um aumento imediato nos custos de empréstimos, para manter a inflação sob controle. Os restantes sete membros, incluindo o presidente do BoE, Mark Carney, até agora votaram para manter as taxas inalteradas, dada a inflação e os riscos vindos do exterior à economia.

Os investidores preveem que o BoE aumentará as taxas de juros no terceiro trimestre do próximo ano. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Reino UnidoJuros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.