DIs operam perto da estabilidade

O mercado doméstico começa a sessão desta terça-feira, 22, sem força, após os feriados no Brasil e nas principais praças internacionais. A agenda desta terça-feira, 22, está mais fraca e os investidores aguardam especialmente por indicadores dos Estados Unidos.

LUCIANA ANTONELLO XAVIER, Agencia Estado

22 de abril de 2014 | 10h09

As tensões na Ucrânia seguem preocupando, apesar do acordo fechado entre Rússia e EUA na última quinta-feira, após ontem o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, ter acusado o governo interino da Ucrânia de uma "flagrante violação" ao acordo assinado na semana passada em Genebra por não desarmar imediatamente os "extremistas" que atuam no país.

Os juros futuros operam perto das taxas do ajuste de quinta-feira, com investidores ainda divididos sobre como ficará a Selic na reunião do Copom de maio. Segundo a pesquisa Focus, o mercado manteve as expectativas de Selic em 11,25% ao final deste ano, mas as projeções para IPCA em 2014 subiram de 6,47% para 6,51%, acima do teto da meta (6,50%). O juros futuros podem adotar um viés de leve alta, seguindo o dólar à vista e os yields dos Treasuries.

Às 9h21, o DI para janeiro de 2015 estava em 11,02%, no mesmo nível do ajuste de quinta-feira. O DI para janeiro de 2017 tinha taxa de 12,33%, de 12,34% no ajuste de quinta-feira. O DI para janeiro de 2021 exibia taxa de 12,66%, de 12,67% no ajuste de quinta-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
juros futurosEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.