Discurso de Palocci não elimina incertezas; Bovespa cai

O discurso do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, feito nesta tarde, não foi suficiente para eliminar o clima de incertezas que vem pressionando o mercado nos últimos dias. Segundo operadores, Palocci foi firme, mas não deixou qualquer sinalização sobre o que, de fato, o mercado quer saber: se ele ficará ou não até o final deste mandato. "Ficou tudo na mesma. Ele não falou nada indicando que ele continuará no cargo e, portanto, o desconforto continua", afirma um operador. Na Bovespa, além do clima político, a queda na Bolsa de Nova York também contribuiu para a reversão da alta o índice, que registrava baixa de 0,22%, às 16h11. Por conta da ausência de sinais concretos, os juros futuros, que chegaram a cair durante o discurso do ministro, retomaram a alta. "Na verdade, o mercado apenas devolveu a queda que registrou durante o discurso. Não houve uma mudança no humor", afirma um operador, observando que o ambiente de incertezas continua abrindo espaço para a boataria. "Nada de novo, apenas os rumores que há dias vêm aparecendo nas mesas de operação", diz. O discurso do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, na Câmara Americana de Comércio (Amcham), em São Paulo, na avaliação de alguns operadores, não trouxe fatos novos, por isso, os investidores mantêm o sentimento de cautela em relação à situação do ministro e à trajetória dos juros nos Estados Unidos. Após o leilão de compra do Banco Central nesta tarde, que absorveu as ofertas do mercado, o dólar voltou á estabilidade. Às 16h11, o dólar caía 0,32%, a R$ 2,155.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.