Disney compra Pixar, que fez Toy Story, Os Incríveis...

The Walt Disney Co. anunciou ontem a compra da Pixar Animation Studios Inc. por US$ 7,4 bilhões. O acordo poderá dar novo fôlego à Disney na área da animação, enquanto deixa o presidente executivo da Pixar, Steve Jobs, o dono da Apple, como máximo acionista individual da Walt Disney. O anúncio foi feito após o fechamento dos mercados de Wall Street. A Disney adquire assim uma empresa que tem revitalizado o mundo da animação com filmes como Toy Story (1995), Vida de Inseto (1998), Toy Story 2 (1999), Monsters, Inc. (2001), Procurando Nemo (2003), vencedor do Oscar 2004 de melhor filme de animação e Os Incríveis (2004), que também conquistou o Oscar 2005 na mesma categoria. Jobs, que conta com mais da metade das ações da Pixar, obterá um posto na junta diretiva da Disney. Ambas as empresas têm feito uma associação de sucesso durante os últimos 12 anos, com a Disney co-financiando os filmes da Pixar. No entanto, esse acordo vence em junho, quando a Pixar lança no mercado seu mais novo filme de animação, Cars. Durante meses, as empresas discutiram uma possível fusão, entre outras opções. A compra por parte da Disney deixaria o vice-presidente da Pixar John Lasseter, como diretor criativo dos estúdios de animação e assessor principal da Walt Disney Imagineering, o departamento encarregado de desenhar e construir os parques temáticos da Disney. O presidente da Pixar, Ed Catmull, ficará como presidente do departamento animado Pixer-Disney e se reportará diretamente ao presidente executivo da Disney, Robert Iger, ou ao presidente de The Walt Disney Studios, Dick Cook. "Disney e Pixar poderão colaborar agora sem as barreiras que podem surgir entre duas companhias diferentes com duas juntas de acionistas diferentes", disse Jobs em um comunicado. "Agora, todo o mundo pode se concentrar no mais importante, criar histórias, personagens e filmes inovadores que deleitem milhões de pessoas em todo o mundo."

Agencia Estado,

25 de janeiro de 2006 | 08h40

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.